notícias

A 1ª Vacina contra a Malária

O primeiro país a receber a vacina contra a Malária foi o Gana através de um projeto piloto organizado e apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros parceiros internacionais apoiantes das questões da Saúde.

Este projeto piloto teve início do passado dia 30 de Abril e abrange as crianças de determinadas regiões do Gana até aos 2 anos de idade.

A Malária continua a ser um flagelo que atinge mortalmente uma criança a cada 2 minutos. O continente que apresenta mais regiões afetadas é África, mas no Gana, mais de 20% das crianças apresenta o parasita da Malária em circulação no sangue.

A Vacina RTS,S é, até à data, a primeira vacina que demonstrou que consegue reduzir significativamente a incidência de Malária nas crianças. Nos ensaios clínicos, concluiu-se que esta vacina pode prevenir 4 em cada 10 casos, incluindo 3 em 10 casos de malária severa com ameaça de morte.

Concluindo a administração das 4 doses que são requeridas para prevenção eficaz, esta vacina é uma nova ferramenta de controlo da Malária que vai ser incluída no pack de recomendações da OMS para prevenção desta doença parasitária.

Fonte:
https://www.afro.who.int/news/malaria-vaccine-pilot-launched-ghana

Fake News em Saúde

Dia 1 de Abril. Hoje é dia das Mentiras. Já nem se lembrava, pois não?

A MyNurse decidiu dar-lhe umas dicas para que se possa defender das notícias falsas sobre a saúde (e a doença!) que existem por aí nas redes sociais.

Em primeiro lugar, é importante saber que, se recebeu um diagnóstico difícil de ouvir e que traz repercussões drásticas ao seu dia-a-dia, não deve ir pesquisar por livre iniciativa à Internet. Não o faça. Proteja-se e fale com um profissional de saúde em quem confie.

Faça uma lista de perguntas para que, quando estiver na presença do médico ou do enfermeiro que o acompanha, possa esclarecer todas as suas dúvidas, sem que se esqueça daquela pergunta mesmo importante que precisa de ver respondida para poder controlar e diminuir a ansiedade que sente.

Se receber uma má notícia não for o seu caso, então leia com atenção esta pequena lista de estratégias para avaliar a veracidade das notícias que vai lendo nas redes sociais ou nos e-mails.

  1. Não julgue a notícia pelo título: o sensacionalismo é uma estratégia muito utilizada pelos meios de comunicação social e muitas vezes os títulos que escolhem são mais apelativos para que você clique no link, mas não dizem respeito à realidade.
  2. Não partilhe a notícia sem a ler primeiro na íntegra e sem fazer o seu juízo crítico no final.
  3. Verifique a fonte da notícia: com a facilidade com que cada blog ou página na internet partilham as informações e notícias, antes de ler, confirme onde é que a pessoa que fez o share leu ou consultou a notícia que colocou.
  4. Verifique a data da notícia: pode estar a ler uma notícia que não é a mais recente, estando a informar-se mal acerca de determinado assunto.
  5. Consulte apenas meios de comunicação oficiais: faça essa selecção a priori e não considere páginas que não sejam canais oficiais e nacional e internacionalmente reconhecidos.
  6. Desconfie de grandes escândalos e de grandes milagres: não se deixe enganar por curas milagrosas para problemas de saúde graves e não leve a sério notícias desastrosas relacionadas com medicamentos ou tratamentos específicos. Lembre-se que as entidades de saúde são reguladas por normas rígidas onde trabalham profissionais idóneos a quem é conferido a responsabilidade de verificar a segurança e veracidade dos produtos, tratamentos e processos.

Se não tiver acesso a um profissional de saúde que o ajude a esclarecer as suas dúvidas, não se esqueça que na MyNurse pode escolher um enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta entre outros, para ir até sua casa e dar o apoio e esclarecimento necessário. Saiba mais em www.mynurse.pt