Diagnóstico

A 1ª Vacina contra a Malária

O primeiro país a receber a vacina contra a Malária foi o Gana através de um projeto piloto organizado e apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros parceiros internacionais apoiantes das questões da Saúde.

Este projeto piloto teve início do passado dia 30 de Abril e abrange as crianças de determinadas regiões do Gana até aos 2 anos de idade.

A Malária continua a ser um flagelo que atinge mortalmente uma criança a cada 2 minutos. O continente que apresenta mais regiões afetadas é África, mas no Gana, mais de 20% das crianças apresenta o parasita da Malária em circulação no sangue.

A Vacina RTS,S é, até à data, a primeira vacina que demonstrou que consegue reduzir significativamente a incidência de Malária nas crianças. Nos ensaios clínicos, concluiu-se que esta vacina pode prevenir 4 em cada 10 casos, incluindo 3 em 10 casos de malária severa com ameaça de morte.

Concluindo a administração das 4 doses que são requeridas para prevenção eficaz, esta vacina é uma nova ferramenta de controlo da Malária que vai ser incluída no pack de recomendações da OMS para prevenção desta doença parasitária.

Fonte:
https://www.afro.who.int/news/malaria-vaccine-pilot-launched-ghana

Fake News em Saúde

Dia 1 de Abril. Hoje é dia das Mentiras. Já nem se lembrava, pois não?

A MyNurse decidiu dar-lhe umas dicas para que se possa defender das notícias falsas sobre a saúde (e a doença!) que existem por aí nas redes sociais.

Em primeiro lugar, é importante saber que, se recebeu um diagnóstico difícil de ouvir e que traz repercussões drásticas ao seu dia-a-dia, não deve ir pesquisar por livre iniciativa à Internet. Não o faça. Proteja-se e fale com um profissional de saúde em quem confie.

Faça uma lista de perguntas para que, quando estiver na presença do médico ou do enfermeiro que o acompanha, possa esclarecer todas as suas dúvidas, sem que se esqueça daquela pergunta mesmo importante que precisa de ver respondida para poder controlar e diminuir a ansiedade que sente.

Se receber uma má notícia não for o seu caso, então leia com atenção esta pequena lista de estratégias para avaliar a veracidade das notícias que vai lendo nas redes sociais ou nos e-mails.

  1. Não julgue a notícia pelo título: o sensacionalismo é uma estratégia muito utilizada pelos meios de comunicação social e muitas vezes os títulos que escolhem são mais apelativos para que você clique no link, mas não dizem respeito à realidade.
  2. Não partilhe a notícia sem a ler primeiro na íntegra e sem fazer o seu juízo crítico no final.
  3. Verifique a fonte da notícia: com a facilidade com que cada blog ou página na internet partilham as informações e notícias, antes de ler, confirme onde é que a pessoa que fez o share leu ou consultou a notícia que colocou.
  4. Verifique a data da notícia: pode estar a ler uma notícia que não é a mais recente, estando a informar-se mal acerca de determinado assunto.
  5. Consulte apenas meios de comunicação oficiais: faça essa selecção a priori e não considere páginas que não sejam canais oficiais e nacional e internacionalmente reconhecidos.
  6. Desconfie de grandes escândalos e de grandes milagres: não se deixe enganar por curas milagrosas para problemas de saúde graves e não leve a sério notícias desastrosas relacionadas com medicamentos ou tratamentos específicos. Lembre-se que as entidades de saúde são reguladas por normas rígidas onde trabalham profissionais idóneos a quem é conferido a responsabilidade de verificar a segurança e veracidade dos produtos, tratamentos e processos.

Se não tiver acesso a um profissional de saúde que o ajude a esclarecer as suas dúvidas, não se esqueça que na MyNurse pode escolher um enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta entre outros, para ir até sua casa e dar o apoio e esclarecimento necessário. Saiba mais em www.mynurse.pt

Inatividade – as suas consequências numa pessoa acamada

 

Quando uma pessoa se encontra acamada, há muitas consequências diretas dessa alteração da mobilidade.

A inatividade provoca um aumento do tempo de contacto direto da pessoa com as superfícies de apoio (cama, almofada, cadeiras, entre outras), provocando um aumento da pressão direta não aliviada sobre os tecidos moles, forças de fricção e deslizamento, o que pode condicionar o aparecimento de úlceras de pressão.

Considera-se que a pessoa em situação de imobilidade deve ser posicionada de duas em duas horas (Timmerman, 2007). No entanto, a frequência dos posicionamentos é determinada pela mobilidade da pessoa, pela condição clínica global, pelos objetivos do tratamento e ainda pelas condições globais da pele (APTF, 2009).

Caso a condição da pessoa acamada lhe permita, é importantíssimo reforçar a necessidade levante para o cadeirão ou cadeira de rodas, pelo menos uma vez por dia. Nesta posição pode estar durante duas horas ou então até se sentir confortável, podendo sempre regressar à cama mantendo a alternância dos posicionamentos.

Deixamos aqui algumas fotografias que podem ajudá-lo a posicionar o seu familiar, no entanto, a ajuda e ensino de um profissional qualificado é sempre uma mais valia pois o cuidado é mais individualizado.

 

 

 

 

 

Na MyNurse pode contar com uma equipa de enfermeiros para ensinarem os cuidadores informais e também auxiliares de acção médica que colaboram consigo neste processo de aprendizagem para si e de prevenção de complicações ao seu familiar acamado. Saiba mais em www.mynurse.pt

Vigie a sua Gravidez | Diabetes

Diabetes Gestacional (DG) define-se como um subtipo de intolerância aos hidratos de carbono diagnosticado ou detectada pela primeira vez no decurso da gravidez.

O diagnóstico da diabetes durante a gravidez tem um impacto significativo em vários aspectos da saúde materno-infantil e na saúde futura da mulher:

  1. Redução da morbilidade materna e da morbi-mortalidade perinatal (controlo da glicemia durante a gravidez diminui as complicações maternas e a mortalidade e morbilidade perinatais)
  2. Identificação de mulheres com risco acrescido de diabetes
  3. Programação fetal intra-uterina (Alguns estudos observacionais têm evidenciado uma forte relação entre obesidade e hiperglicemia durante a gravidez e a possibilidade dos filhos virem a desenvolver obesidade e diabetes tipo 2 em fases tardias da vida. Não está provado que o tratamento da hiperglicemia materna reduza o aparecimento de alterações da tolerância à glicose nos descendentes. No entanto, trata-se de uma área de grande empenhamento científico sendo os conhecimentos actuais suficientes para o desenvolvimento de programas de vigilância e prevenção nesta população.)

É importantíssimo fazer uma vigilância da tolerância do seu organismo à glicose durante o período de gestação. Muitas são as mulheres que sentem náuseas e grande desconforto durante a realização desta prova.

Na MyNurse pode realizar o teste de tolerância à glicose na gravidez no conforto de sua casa. Não hesite em agendar online a sua PTOG em www.mynurse.pt 

Fontes: Revista Portuguesa de Diabetes (2017); DGS, Norma 007/2011

O Sistema Respiratório como mecanismo de defesa do corpo

O Sistema Respiratório tem um papel muitíssimo relevante na protecção do nosso corpo contra os agentes patogénicos. E é uma protecção com um sistema tão complexo que de certeza nunca imaginou que pudesse ser assim.

 

Nesta imagem consegue-se perceber que os cílios são prolongamentos das células que ajudam a “arrastar” os agentes patogénicos para o muco que será posteriormente eliminado através da tosse ou apenas da deglutição.

Nesta altura do ano, é muito comum apresentar tosse e expectoração e, umas das soluções mais eficazes que hoje em dia se conhece é a Cinesiterapia Respiratória (“ginástica respiratória”).

Na MyNurse encontra fisioterapeutas com muita experiência em Cinesiterapia em quem pode confiar a sua tosse.

Saiba mais em www.mynurse.pt

 

A pele como mecanismo de defesa do corpo

Todos sabemos que o nosso corpo tem estratégias de defesa, mas poucos de nós sabemos ao certo quais são esses mecanismos e qual a sua acção.

Hoje vamos abordar os mecanismos de defesa normais dos sistemas orgânicos: a pele.

Na MyNurse pode encontrar enfermeiros especializados na realização pensos em todo o tipo de feridas. Não deixe que a sua ferida seja uma porta de entrada para os agentes patogénicos. Proteja-se e conte com os profissionais que vão até sua casa prestar-lhe cuidados de saúde com qualidade.

 

Saiba mais em www.mynurse.pt

Como se transmite uma infecção?

A infeção é a invasão de um hospedeiro susceptível por agentes patogénicos, ou microorganismos, resultando em doença.

Os principais agentes infecciosos são as bactérias, os vírus, fungos e protozoários.

Ocorre doença ou infeção, apenas, quando os agentes patogénicos se multiplicam e alteram a função tecidual normal. Quando a doença infecciosa é passível de transmissão directa, de uma pessoa para outra, diz-se que é contagiosa ou então que é um doença transmissível (Jackson e Tweeten, 2000, adapt).

 

Neste Inverno a My Nurse aconselha a que esteja atento a estas formas de transmissão de doenças. Como já diz o ditado, “mais vale prevenir que remediar!” Caso seja necessário remediar, pode sempre contar com os vários profissionais qualificados para o ajudarem no processo de cura mesmo no quentinho de sua casa. Conte com a My Nurse e saiba mais em www.mynurse.pt

Fui diagnosticado. E agora? A Aceitação

Para terminar a série de posts acerca do processo de aceitação da doença, temos a última fase. A Aceitação.

Já sendo capaz de admitir que a doença existe, a pessoa procura obter informação, esforçando-se por ser autónoma. É um recomeço. Desta forma, nesta etapa, a família e os amigos são peças fundamentais na adaptação às novas rotinas.

Procurem juntos um enfermeiro que esteja presente e que vá acompanhando o processo de aprendizagem e adaptação, esclarecendo dúvidas, resolvendo pequenos problemas que podem vir a aparecer ao longo do caminho.

Não há dúvidas que, quando nos sentimos acompanhados, é muito mais fácil recomeçar. Nunca se esqueça disso. A sua saúde é preciosa, a saúde dos seus familiares e amigos é preciosa. Não perca a oportunidade de acompanhar alguém neste caminho de aceitar a doença. A sua presença pode fazer a diferença neste processo.

A aceitação da doença reflecte a vontade de enfrentar as suas implicações e para isto pode contar com profissionais diferenciados na MyNurse que pode dar todo o apoio necessário no conforto de sua casa. Saiba mais em www.mynurse.pt

 

 

 

Fui diagnosticado, e agora? Fase da Negociação

Temos vindo a deixar aqui no Blog MyNurse algumas dicas para que possa apoiar alguém que tenha recebido a notícia de uma doença. Independentemente do diagnóstico, todos passamos por um processo de adaptação à doença. As primeiras etapas já descrevemos em posts anteriores.

Depois do sentimento de raiva, entramos numa quarta etapa: a Negociação.

Nesta fase mais tardia, observam-se muitas vezes comportamentos de negociação. Por exemplo “se eu sobreviver, então prometo que vou ter mais cuidado”. Uma crença de que o diagnóstico foi um castigo e que portanto há a hipótese de negociar o desfecho daquela situação.

Nestes momentos, é importante manter o discurso de apoio baseado apenas na realidade. No que se sabe em concreto. Não vale a pena fazer projeções de futuro. Ajude a concentrar-se no presente e no dedicar toda a atenção ao que se sabe de momento.

É muito importante compreender que cada etapa não tem um período de tempo definido. Varia consoante cada caso e, além disso, a passagem entre etapas pode ser muito ténue. No entanto, conhecê-las pode ser importante para quem está apoiar a pessoa doente, contribuindo para uma maior compreensão do seu processo de aceitação interior.

Conversar com um psicólogo pode ser uma variante neste processo de aceitação que faz a diferença. Na MyNurse podemos ajudá-lo a encontrar um profissional que tenha um perfil que ajude a criar empatia com a pessoa doente. Não hesite em saber mais informações em www.mynurse.pt