Enfermeiro ao domicílio

Enfermeiro de saúde mental: o que é e para que serve

Por André Maravilhas
Enfermeiro Especialista em Saúde Mental

Sabia que um Enfermeiro Especialista em Saúde Mental é muito mais do que um técnico que administra medicação? É um profissional de saúde formado e habilitado para intervir, neste caso no domicílio, em gestão de situações de crise em Saúde Mental.

Situações como alterações de comportamento, agressividade, ansiedade, entre outros, derivado de um quadro de sofrimento psíquico, pode ser alvo de intervenção de um enfermeiro especialista em Saúde Mental.

Para além da gestão de crise em si mesma, este Enfermeiro tem conhecimentos técnicos e científicos que o permitem trabalhar o foco da situação gerada, perceber e gerir o regime medicamentoso no momento, bem como delinear com o cliente e cuidadores, estratégias de prevenção e atuação em caso de novas situações de crise, tais como identificação de sinais e sintomas.

saude-mental

Na MyNurse temos uma rede de enfermeiros especialistas que poderão ajudar em várias áreas, e que através de uma consulta, poderão iniciar uma colaboração com famílias e/ou pessoas que tenham necessidades específicas que vão muito para além da consulta médica. Marque a sua consulta em www.mynurse.pt

 

Porquê um Enfermeiro?

A Enfermagem é a arte de cuidar e a ciência cuja essência e especificidade é o cuidado ao ser humano, individualmente, na família ou em comunidade, de modo integral e holístico, desenvolvendo de forma autónoma ou em equipe atividades de promoção, proteção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde.

Um enfermeiro tem competências e conhecimentos que outros cuidadores não têm, sendo essencial, para o doente um plano de cuidados de enfermagem individualizado que permita assegurar cuidados de qualidade e adaptados às circuntâncias de cada um. É um cuidador certificado e qualificado, com seguro de actividade profissional próprio, e que está  capacitado para dar pareceres, instruções ou examinar determinada situação com o fim de decidir sobre um plano de ação sobre sua área de conhecimento em relação às necessidades apresentadas pelo cliente.

Em determinados casos, colocar o doente nas mãos de um profissional não qualificado, pode ser um erro e uma desconsideração para com a pessoa que precisa deste tipo de cuidados, diminuindo a sua qualidade de vida e o seu conforto. Da mesma forma, se for possível a manutenção do doente no conforto da sua casa, em vez da hospitalização ou institucionalização, escolher o cuidador, de entre os que se encontram disponíveis e que são competentes para o caso, é fundamental para a prestação de bons cuidados.

Peça um conselho a um profissional qualificado, sem compromisso, e sinta a diferença e a segurança, de ter perto de si ou de quem precisa de cuidados, cuidadores diferenciados com código deontológico próprio e uma actividade regulada no mercado. São cuidadores com formação superior que além do estudo, revelam uma vocação própria e abraçam a missão a que se propõem com dedicação e empenho valorizando o paciente e os seus interesses em primeiro lugar.

Da elaboração de plano de cuidados, com diagnóstico de enfermagem, onde são estabelecidas intervenções/acções de enfermagem específicas direcionadas para as necessidades encontradas à monitorização do estado de saúde, há toda uma série de cuidados disponíveis através da Plataforma MyNurse. Registe-se e escolha um cuidador adequado a si e às suas necessidades. Consulte os seus perfis, as suas competências e a sua experiência para tomar a sua decisão de forma livre e informada.

Quero saber mais sobre: Psoríase

A psoríase é uma doença crónica da pele, não contagiosa, que pode surgir em qualquer idade e que afecta 1 a 3% da população. O seu aspecto, extensão, evolução e gravidade são muito variáveis, caracterizando-se, geralmente, pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afectam preferencialmente os cotovelos, joelhos, região lombar e couro cabeludo. Nos casos mais graves, estas lesões podem cobrir extensas áreas do corpo. As unhas são também frequentemente afectadas, com alterações que podem variar entre o quase imperceptível e a sua destruição.

tratamentos-para-psoriase-no-couro-cabeludo-1-640-427

Cerca de 10% dos doentes desenvolvem artrite psoriática. Esta traduz-se por dor e deformidade, por vezes bastante debilitante, de pequenas (mãos e pés) ou grandes (membros e coluna) articulações.
A origem da psoríase não está totalmente esclarecida, embora se saiba que é geneticamente determinada e envolva alterações no funcionamento do sistema imunitário, que provocam inflamação e aumento da velocidade de renovação das células da epiderme (camada mais superficial da pele).

O facto de ser geneticamente determinada não implica que a hereditariedade de pais para filhos seja obrigatória. Contudo, verifica-se uma maior probabilidade de aparecimento da doença em pessoas que tenham familiares portadores da mesma.

Uma vez que existem múltiplas doenças cutâneas que também se manifestam com lesõespsoriase vermelhas e descamativas, eventualmente afectando as localizações típicas da psoríase, o diagnóstico deve ser sempre estabelecido pela observação clínica por um dermatologista. Em alguns casos poderá ser necessária a confirmação com biópsia de pele.

Existem diversos tipos de psoríase, classificados de acordo com o seu aspecto clínico.
Os mais importantes são: Psoríase no couro cabeludo; Psoríase em placas ou psoríase vulgar; Psoríase gutata; Psoríase inversa; Psoríase eritrodérmica e Psoríase com Pústulas
Não existe uma cura definitiva para a psoríase, mas sim um conjunto variado de tratamentos, cujo uso isolado ou em associações permite controlar os sintomas na maioria dos casos. Cada doente tem a sua especificidade, pelo que estas terapêuticas devem ser usadas criteriosamente, de acordo com as indicações adequadas para cada caso e respectiva fase de evolução e com respeito pelas regras de segurança, para evitar eventuais efeitos secundários ou agravamento da própria doença.
Terapêuticas Tópicas (aplicação de loções, cremes ou pomadas sobre a pele)
Emolientes e queratolíticos: O seu uso regular é importante para o controlo da descamação, constituindo um importante complemento para os restantes tratamentos.
Corticosteroides tópicos: Muito eficazes no controlo das lesões. Existem com diferentes níveis de potência, adequados para diferentes situações e áreas do corpo. Para evitar efeitos secundários não devem ser usados de forma continuada.
Análogos da vitamina D: Interferem no ciclo de renovação celular, controlando a descamação.
Outros: Alcatrão, ditranol.
Sol
A helioterapia é sem dúvida o meio de tratamento mais barato e acessível. A exposição à luz solar (espectro ultravioleta) induz uma melhoria na maioria dos casos. Contudo, esta deverá ser feita com moderação, uma vez que as queimaduras solares agravam a psoríase.
Fototerapia
Exposição da pele a fontes artificiais de luz ultravioleta (UV) em sessões regulares, com doses de UV adequadas a cada doente e durante períodos predeterminados. Na fototerapia UVB é usado o espectro de radiação UVB e a na PUVA é necessária a aplicação local ou por via sistémica de um agente sensibilizaste à luz UVA (psoraleno).
Medicamentos sistémicos (via oral ou injectáveis)
Usados nos casos mais gravmelhores-tratamentos-para-psoriase-3-640-427es ou resistentes ao tratamento. Implicam um acompanhamento médico minucioso.
Retinoides: normalizam a proliferação e diferenciação das células da epiderme. As mulheres em idade fértil só os podem usar se forem estabelecidas medidas de contracepção rigorosas, por risco de malformações no feto.
Metotrexato e ciclosporina: interferem com mecanismos inflamatórios e imunitários na base da doença.
Agentes biológicos (Etanercept, Adalimumab, Infliximab): Actuam selectivamente sobre determinados componentes do sistema imunitário. Representam a área em que se verificaram os progressos mais recentes.

Lesões cutâneas vermelhas e descamativas, ocupando as regiões dos copsoriase-e1427399641750tovelos, joelhos, região lombar ou couro cabeludo, sem sintomatologia significativa (dor, “comichão”), sobretudo se associadas a alterações das unhas ou queixas articulares, sugerem a hipótese de diagnóstico de psoríase.

Contudo, um diagnóstico definitivo deve ser sempre efectuado por um dermatologista, uma vez que existem diversas patologias cutâneas com características semelhantes, mas cujo tratamento é muito diferente.

 

A Psoríase não é contagiosa, não se transmite por contacto. Ninguém “apanha” psoríase pelo toque, ao compartilhar roupas ou objetos ou dormir na mesma cama. É importante que pacientes, familiares e amigos saibam disso. Ajuda a combater o preconceito.

 

psoriase-1

 

As informações disponibilizadas neste artigo não substituem o papel do médico.
Cada caso é um caso e o seu médico-dermatologista será sempre o seu melhor conselheiro.

Para mais informações e apoio no caso de psoríase visite a Associação Portuguesa de Psoríase

Aprender a cuidar de mim: problemas com amamentação

Amamentar pode ser uma das melhores experiências das mães, mas pode também ser um enorme pesadelo. Há vários factores que poderão contribuir para problemas com a amamentação. São muito comuns e podem levar algumas mães ao “desespero”. Enumeramos aqui alguns dos problemas mais comuns:

  1. DOR NOS MAMILOS: ocasionalmente pode ocorrer dor nos mamilos, especialmente durante as primeiras semanas de amamentação. Algumas mães que amamentam descrevem a dor nos mamilos como uma sensação de compressão, comichão e ardor.A dor pode ser causada por: posição inadequada do bebé; técnicas inadequadas de amamentação; cuidados inadequados dos mamilos. Por vezes basta uma simples mudança na posição do seu bebé durante a amamentação, que alivia a dor. Algumas mães relatam que sentem dor apenas durante o período de adaptação. Uma amamentação confortável exige por vezes algum tempo e experiência. A dor nos mamilos pode também ser causada por uma libertação incompleta da sucção no final da amamentação do seu bebé. Pode ajudar o seu bebé a aprender a libertar o mamilo, e assim reduzir o seu desconforto, introduzindo um dedo dentro da boca para interromper a sucção no final da amamentação. Também a pele excessivamente seca ou húmida pode causar dor nos mamilos. A humidade pode ser causada pelo uso de sutiãs feitos de tecidos sintéticos que aumentam a sudorese e impedem a evaporação. O uso de sabonetes ou soluções que removem os óleos naturais da pele podem causar um ressecamento excessivo da pele. A dor nos mamilos pode também ser causada pela mastigação ou mordida dos mamilos. Quando o seu bebé inicia a dentição, morder ou mastigar parece ajudar a aliviar o desconforto próprio da fase. Para confortar o seu bebé e reduzir o desejo de mastigar ou morder a sua mama, forneça algo frio e húmido para que mastigue, por alguns minutos, antes de amamentar. Um pano frio do frigorífico irá servir para esse propósito. O frio irá ajudar a amortecer as gengivas doridas e poderá proporcionar alívio durante a amamentação. Antes de amamentar com a outra mama, conceda um tempo para que o bebé mastigue um outro pano frio e húmido.
  2. DISTENSÃO DA MAMA OU REPLEÇÃO DA MAMA
    A distensão da mama consiste na congestão dos seus vasos sanguíneos. As mamas ficam inchadas, duras e doridas. Não há a protrusão dos mamilos, que permita que o bebé se fixe a eles corretamente, dificultando desse modo a amamentação. A distensão é diferente da repleção da mama. A repleção da mama é o acúmulo de sangue e leite na mama, alguns dias após o nascimento, e é um sinal de que o leite está a chegar. A repleção da mama não prejudica a amamentação, porque os tecidos das mamas podem ser facilmente comprimidos pela boca do bebé. Amamente com frequência (oito vezes ou mais em 24 horas) e durante, pelo menos, 15 minutos, para impedir a distensão. Para aliviar a distensão da mama, esprema o leite manualmente ou com uma bomba. As bombas mamárias elétricas funcionam melhor. Alterne tomando banhos quentes e utilize compressas frias para ajudar a aliviar o desconforto.
  3. REFLEXO DE DESCIDA DO LEITE
    O reflexo de descida do leite é uma parte necessária da amamentação. As hormonas (prolactina e oxitocina) controlam o reflexo e permitem que o leite produzido nas glândulas mamárias seja libertado para dentro dos ductos lácteos. Dor, stress e ansiedade podem interferir nesse reflexo. Isso irá causar a retenção do leite dentro das glândulas mamárias, causando dor adicional e ansiedade. O tratamento para esse problema inclui relaxamento e a adoção de posições confortáveis para si e para o seu bebé durante o ato de amamentação. A redução de distrações, massagens suaves e a aplicação de calor na mama também irão ajudar. Deve conversar com o seu médico sobre os problemas persistentes.
  4. FORNECIMENTO INADEQUADO DE LEITE
    A demanda de leite ou o consumo de leite do bebé determina o fornecimento de leite. As amamentações frequentes, descanso adequado, boa nutrição e ingestão adequada de líquidos mantêm um bom fornecimento. A verificação do peso e crescimento é, frequentemente, a melhor maneira de assegurar se o seu bebé está a consumir leite suficiente. Se tiver dúvidas em relação à quantidade de leite materno que o seu bebé está a consumir, consulte o seu médico.
  5. DUCTO LÁCTEO OBSTRUÍDO
    Um ducto lácteo pode tornar-se obstruído se o bebé não estiver a amamentar-se bem, se a mãe omitir as amamentações (comum quando a criança está a desmamar), ou se está a usar um sutiã apertado. Os sintomas de um ducto lácteo obstruído incluem: sensibilidade, calor e vermelhidão da mama, ou um nódulo palpável próximo à pele. Algumas vezes, um pequeno ponto branco pode ser visto na abertura do ducto do mamilo. Massajar a área e pressionar com suavidade pode ajudar a remover a obstrução.
  6. INFECÇÃO DA MAMA
    Uma infecção da mama (mastite) causa dores musculares (sensação parecida com a da gripe), febre e uma área vermelha, quente e sensível numa mama. Consulte o seu médico se apresentar esses sintomas. As infecções nas mamas, na maioria das vezes, ocorrem em mães que estão stressadas, exaustas, que têm rachaduras nos mamilos, ductos lácteos obstruídos, distensão da mama, que omitiram algumas amamentações, ou que usam sutiãs apertados (constritivos). O tratamento frequentemente inclui medicamentos para tratar a infecção (antibióticos), amamentação frequente, vapor, descanso e o uso de um sutiã confortável durante as amamentações.
  7. AFTA
    A afta é uma infecção comum causada por leveduras e que pode passar da mãe para o bebé durante a amamentação. A levedura (chamada Candida albicans) cresce em áreas quentes e húmidas. A boca do bebé e os mamilos da mãe são locais perfeitos para o seu crescimento. Uma infecção por levedura pode ser difícil de curar, mas não é incomum. As infecções por leveduras frequentemente ocorrem durante ou após o tratamento com antibióticos  Os sintomas de afta na mãe são os mamilos de coloração rosa intenso, que estão sensíveis ou causam desconfortos durante e imediatamente após a amamentação. Os sintomas de afta no bebé incluem manchas brancas e aumento da vermelhidão na boca do bebé. O bebé também pode apresentar erupção das fraldas, uma alteração no humor e sucção frequente. Consulte o seu médico para obter uma receita de um medicamento antifúngico para cada membro da sua família.

Procure ajuda profissional em caso de dúvidas. Através da MyNurse pode encontrar enfermeiras especializadas e com experiência nesta área, que vão a sua casa e a ajudam nesta fase, evitando maiores ansiedades e preocupações. Registe-se em MyNurse e descubra o profissional mais adequado a si.

breastfeeding-56a6fbb25f9b58b7d0e5d758

Fonte: Farmácia Saúde

 

A nossa missão

A MyNurse é uma plataforma tecnológica e uma aplicação que pretende facilitar a prestação de cuidados de apoio ao domicílio. Dos grandes centros urbanos às periferias e zonas rurais, o nosso compromisso é disponibilizar a maior base de dados de cuidadores e prestadores de apoio domiciliário, com qualidade, eficiência no tempo de resposta e com custos acessíveis e justos para prestadores e utilizadores da plataforma.

Para isso, desenvolvemos novas modalidades de disponibilização dos serviços que cada cuidador, com as suas valências, pode prestar. Atenta às necessidades particulares de cada utilizador, a plataforma permite a escolha do perfil do cuidador que mais se adequa ao pretendido pelo utilizador, entre outras funcionalidades. Deste modo, acreditamos satisfazer mais e melhor, chegando a tantas pessoas quanto seja possível.

Motiva-nos a excelência de um serviço de qualidade, mais amigo do utilizador e mais adaptado às solicitações de hoje em dia, procurando através das novas tecnologias ao nosso dispor, levar mais longe a prestação de cuidados ao domicílio.

Motiva-nos também a inovação e o empreendedorismo, um maior aproveitamento dos óptimos recursos de que Portugal dispõe, e a possibilidade da melhoria das condições de vida de todos os nossos utilizadores e prestadores.

É também nossa preocupação permitir uma remuneração adequada a quem cuida, valorizando todas as profissões cuidadoras, sejam enfermeiros, fisioterapeutas, auxiliares, psicólogos, ou outros cuidadores, distinguindo o seu campo de acção e intervenção, serviços que prestam e ajudas que proporcionam, de forma a que os utilizadores possam escolher o cuidador adequado às suas necessidades e disponibilidades.

A experiência da nossa equipa junto dos que precisam de cuidados e que os pretendem no conforto do seu lar, junto das suas famílias, conhecidos e das suas rotinas, é o motor para que procuremos sempre inovar e permitir a maior comodidade, intuitividade e facilidade no acesso aos serviços dos prestadores inscritos na plataforma MyNurse.

Esperamos estar sempre à altura de novos desafios, tendo como referência uma dinâmica de mais e melhor serviço ao próximo.

 

 

Porquê um enfermeiro?

A Enfermagem é a arte de cuidar e a ciência cuja essência e especificidade é o cuidado ao ser humano, individualmente, na família ou em comunidade, de modo integral e holístico, desenvolvendo de forma autónoma ou em equipe atividades de promoção, proteção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde.

Um enfermeiro tem competências e conhecimentos que outros cuidadores não têm, sendo essencial, para o doente um plano de cuidados de enfermagem individualizado que permita assegurar cuidados de qualidade e adaptados às circuntâncias de cada um. É um cuidador certificado e qualificado, com seguro de actividade profissional próprio, e que está  capacitado para dar pareceres, instruções ou examinar determinada situação com o fim de decidir sobre um plano de ação sobre sua área de conhecimento em relação às necessidades apresentadas pelo cliente.

Em determinados casos, colocar o doente nas mãos de um profissional não qualificado, pode ser um erro e uma desconsideração para com a pessoa que precisa deste tipo de cuidados, diminuindo a sua qualidade de vida e o seu conforto. Da mesma forma, se for possível a manutenção do doente no conforto da sua casa, em vez da hospitalização ou institucionalização, escolher o cuidador, de entre os que se encontram disponíveis e que são competentes para o caso, é fundamental para a prestação de bons cuidados.

Peça um conselho a um profissional qualificado, sem compromisso, e sinta a diferença e a segurança, de ter perto de si ou de quem precisa de cuidados, cuidadores diferenciados com código deontológico próprio e uma actividade regulada no mercado. São cuidadores com formação superior que além do estudo, revelam uma vocação própria e abraçam a missão a que se propõem com dedicação e empenho valorizando o paciente e os seus interesses em primeiro lugar.

Da elaboração de plano de cuidados, com diagnóstico de enfermagem, onde são estabelecidas intervenções/acções de enfermagem específicas direcionadas para as necessidades encontradas à monitorização do estado de saúde, há toda uma série de cuidados disponíveis através da Plataforma MyNurse. Registe-se e escolha um cuidador adequado a si e às suas necessidades. Consulte os seus perfis, as suas competências e a sua experiência para tomar a sua decisão de forma livre e informada.