Bem-estar

A 1ª Vacina contra a Malária

O primeiro país a receber a vacina contra a Malária foi o Gana através de um projeto piloto organizado e apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros parceiros internacionais apoiantes das questões da Saúde.

Este projeto piloto teve início do passado dia 30 de Abril e abrange as crianças de determinadas regiões do Gana até aos 2 anos de idade.

A Malária continua a ser um flagelo que atinge mortalmente uma criança a cada 2 minutos. O continente que apresenta mais regiões afetadas é África, mas no Gana, mais de 20% das crianças apresenta o parasita da Malária em circulação no sangue.

A Vacina RTS,S é, até à data, a primeira vacina que demonstrou que consegue reduzir significativamente a incidência de Malária nas crianças. Nos ensaios clínicos, concluiu-se que esta vacina pode prevenir 4 em cada 10 casos, incluindo 3 em 10 casos de malária severa com ameaça de morte.

Concluindo a administração das 4 doses que são requeridas para prevenção eficaz, esta vacina é uma nova ferramenta de controlo da Malária que vai ser incluída no pack de recomendações da OMS para prevenção desta doença parasitária.

Fonte:
https://www.afro.who.int/news/malaria-vaccine-pilot-launched-ghana

Fake News em Saúde

Dia 1 de Abril. Hoje é dia das Mentiras. Já nem se lembrava, pois não?

A MyNurse decidiu dar-lhe umas dicas para que se possa defender das notícias falsas sobre a saúde (e a doença!) que existem por aí nas redes sociais.

Em primeiro lugar, é importante saber que, se recebeu um diagnóstico difícil de ouvir e que traz repercussões drásticas ao seu dia-a-dia, não deve ir pesquisar por livre iniciativa à Internet. Não o faça. Proteja-se e fale com um profissional de saúde em quem confie.

Faça uma lista de perguntas para que, quando estiver na presença do médico ou do enfermeiro que o acompanha, possa esclarecer todas as suas dúvidas, sem que se esqueça daquela pergunta mesmo importante que precisa de ver respondida para poder controlar e diminuir a ansiedade que sente.

Se receber uma má notícia não for o seu caso, então leia com atenção esta pequena lista de estratégias para avaliar a veracidade das notícias que vai lendo nas redes sociais ou nos e-mails.

  1. Não julgue a notícia pelo título: o sensacionalismo é uma estratégia muito utilizada pelos meios de comunicação social e muitas vezes os títulos que escolhem são mais apelativos para que você clique no link, mas não dizem respeito à realidade.
  2. Não partilhe a notícia sem a ler primeiro na íntegra e sem fazer o seu juízo crítico no final.
  3. Verifique a fonte da notícia: com a facilidade com que cada blog ou página na internet partilham as informações e notícias, antes de ler, confirme onde é que a pessoa que fez o share leu ou consultou a notícia que colocou.
  4. Verifique a data da notícia: pode estar a ler uma notícia que não é a mais recente, estando a informar-se mal acerca de determinado assunto.
  5. Consulte apenas meios de comunicação oficiais: faça essa selecção a priori e não considere páginas que não sejam canais oficiais e nacional e internacionalmente reconhecidos.
  6. Desconfie de grandes escândalos e de grandes milagres: não se deixe enganar por curas milagrosas para problemas de saúde graves e não leve a sério notícias desastrosas relacionadas com medicamentos ou tratamentos específicos. Lembre-se que as entidades de saúde são reguladas por normas rígidas onde trabalham profissionais idóneos a quem é conferido a responsabilidade de verificar a segurança e veracidade dos produtos, tratamentos e processos.

Se não tiver acesso a um profissional de saúde que o ajude a esclarecer as suas dúvidas, não se esqueça que na MyNurse pode escolher um enfermeiro, psicólogo, fisioterapeuta entre outros, para ir até sua casa e dar o apoio e esclarecimento necessário. Saiba mais em www.mynurse.pt

Sejam um expert a beber água!

Dia 22 de Março é o Dia Mundial da Água. Sabemos que é importante poupá-la, mas o seu consumo não deixa de ser importante para a nossa saúde e favorecimento do processo de homeostase do nosso corpo e seus sistemas. Assim na MyNurse hoje deixamos algumas estratégias para aumentar a quantidade de água que ingere durante o dia.

Medidas e estratégias a adoptar:

  1. Aposte na compra de um recipiente duradouro, tenha-o consigo no seu local de trabalho. As garrafas de plástico comuns acabam por ser mais frágeis e não vale a pena aumentar o lixo de plástico.
  2. Se não gosta de beber água ao natural, aposte em águas aromatizadas. Seleccione os aromas que mais gosta, ferva água, faça uma infusão leve e prepare jarros de véspera para que, de manhã, antes de ir para o trabalho, consiga encher a sua garrafa.
  3. A gelatina é uma opção também muito prática para as pessoas que não gostam de beber água pela sua ausência de sabor. As opções sem açúcar é a escolha mais acertada.
  4. Registe a quantidade de água que ingere diariamente. Esta dica ajudá-lo-á a aumentar a motivação para ir bebendo mais água ao longo do dia. Existem várias aplicações para smartphones que, ao longo do dia, vão dando alertas para o relembrar de beber um copo de água.
  5. Defina um ritual de ingestão de água e use-o para manter esta rotina saudável.
  6. Se é cuidador, lembre-se que a pessoa cuidada por si, precisa da sua ajuda para beber água. Muitas vezes as palhinhas são instrumentos muito úteis para ajudar na deglutição de pessoas com disfagia a líquidos. Pode também adicionar espessante em para prevenir o engasgamento.

Tem outras dicas e ideias? Partilhe connosco!

Saiba mais sobre os serviços MyNurse em www.mynurse.pt

Gravidez: 40 semanas de mudanças

Ser Mãe é realmente uma decisão! As mulheres quando engravidam, começam logo por notar algumas (ainda que pequenas) alterações no seu corpo. Há quem sinta uma maior tensão mamária, que é muitas vezes confundida com um sintoma típico do síndrome pré-menstrual. Outras sofrem de um aumento da frequência urinária. De repente, a meio da noite, levantam-se para ir à casa de banho. As mulheres sofrem!

Hoje no Blog da MyNurse, falamos dos edemas que afectam a maioria das grávidas na etapa final da gravidez e deixamos aqui algumas sugestões para as senhoras que estão quase quase a ter o bebé.

Na segunda metade da gravidez é frequente os pés incharem, podendo o mesmo ocorrer nas mãos e no rosto. Nestas situações é aconselhável evitar ficar longos períodos parada de pé. Se não tiver nenhuma contra-indicação, deve fazer exercício físico.

Sempre que puder, deite-se com as pernas ligeiramente elevadas. Pode também deitar-se virada para o lado esquerdo. Pode considerar utilizar meias de compressão elástica. Se começar a sentir os dedos das mãos inchados, retire os anéis.

Nesta imagem, pode ver os vários graus do Sinal de Godet que pode vir a observar nos seus membros inferiores.

Na MyNurse encontra uma série de serviços para as grávidas mas há uns pacotes de fisioterapia de preparação para o parto que deviam ser alvo da sua atenção. Sem sair de casa, prepare o seu corpo para receber o seu bebé. Aprenda os pormenores dos esforços físicos a que será submetida na maternidade.

Conte connosco: saiba mais em www.mynurse.pt

O Processo de Luto II

Regressamos ao Blog da MyNurse com o tema do Luto e as fases descritas por Bowlby.

Num primeiro post abordámos a importância de se perceber que o Luto não é um caminho linear. É um processo com muitas fases e nem sempre se vive cada fase de forma isolada.

A segunda fase do Processo de Luto é a fase de saudade e procura. É neste período que se despertam explosões de soluços chorosos e de angústia aguda na maioria das pessoas. Um pessoa também pode sentir, de forma mais ou menos aberta, saudade intensa pelo objecto ou pessoa perdida. Esta fase pode durar meses ou anos.

Durante a fase que se segue, de desorganização e desespero, a pessoa envolve-se numa análise interminável sobre a forma e razão da perda ter acontecido. É muito natural e vulgar a pessoa exprimir raiva contra alguém que possa ser responsável pelo ocorrido. Este sentimento dá muitas vezes lugar à aceitação de que a perda é permanente.

Na etapa final de reorganização, que pode ser superior a um ano de duração, a pessoa começa a aceitar novos papéis a que não estava habituada e a adquirir nova competências e a formar novas relações.

Não precisa de passar por um Processo de Luto sozinho. Na MyNurse pode escolher um psicólogo que o pode acompanhar e ajudar a reorganizar a sua vida após uma perda. As consultas podem ser em sua casa ou num sítio em que se sinta seguro e bem. Não tem mal nenhum pedir ajuda. Lembre-se: todos passamos por isto.

Saiba mais em www.mynurse.pt

O que provoca uma úlcera por pressão?

Hoje falamos novamente de úlceras por pressão e damos-lhe a conhecer os fatores que contribuem para o seu desenvolvimento.

De acordo com o European Pressure Ulcer Advisory Panel e o National Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP\NPUAP, 2009) uma úlcera de pressão

«é uma lesão localizada da pele e/ou tecido subjacente, normalmente sobre uma proeminência óssea, em resultado da pressão ou de uma combinação entre esta e forças de torção. Às úlceras de pressão também estão associados fatores contribuintes e de confusão, cujo papel ainda não se encontra totalmente esclarecido».

Factores que influenciam o desenvolvimento de úlceras por pressão:

Nos fatores extrínsecos, muito dependentes dos cuidados de Enfermagem, salientam-se

  • a pressão,
  • as forças de deslizamento,
  • a fricção e a humidade.

Nos fatores intrínsecos:

  • a imobilidade,
  • a incontinência,
  • a idade,
  • o estado nutricional,
  • a má perfusão/oxigenação tecidular,
  • efeitos de medicamentos e
  • as doenças crónicas.

Entre os fatores intrínsecos salienta-se ainda a importância do deficiente estado nutricional, devido à hipoalbuminémia que altera a pressão osmótica e causa a formação de edema, comprometendo a difusão de oxigénio com consequente anoxia celular. Salientam-se, ainda, as deficiências de vitaminas A, C e E, devido ao seu papel na síntese de colagénio, imunidade e integridade epitelial. A desidratação, com consequente desequilíbrio eletrolítico, predispõe o doente ao aparecimento de UP (Ferreira, Miguéns, Gouveia, & Furtado, 2007).

Já viu como o desenvolvimento de uma úlcera por pressão é provocado por tantos fatores? Na MyNurse pode encontrar um grande número de enfermeiros que o ajudam a pôr em prática um plano de prevenção e/ou tratamento destas feridas que tanto contribuem para uma diminuição da qualidade de vida. Saiba mais em www.mynurse.pt

Inatividade – as suas consequências numa pessoa acamada

 

Quando uma pessoa se encontra acamada, há muitas consequências diretas dessa alteração da mobilidade.

A inatividade provoca um aumento do tempo de contacto direto da pessoa com as superfícies de apoio (cama, almofada, cadeiras, entre outras), provocando um aumento da pressão direta não aliviada sobre os tecidos moles, forças de fricção e deslizamento, o que pode condicionar o aparecimento de úlceras de pressão.

Considera-se que a pessoa em situação de imobilidade deve ser posicionada de duas em duas horas (Timmerman, 2007). No entanto, a frequência dos posicionamentos é determinada pela mobilidade da pessoa, pela condição clínica global, pelos objetivos do tratamento e ainda pelas condições globais da pele (APTF, 2009).

Caso a condição da pessoa acamada lhe permita, é importantíssimo reforçar a necessidade levante para o cadeirão ou cadeira de rodas, pelo menos uma vez por dia. Nesta posição pode estar durante duas horas ou então até se sentir confortável, podendo sempre regressar à cama mantendo a alternância dos posicionamentos.

Deixamos aqui algumas fotografias que podem ajudá-lo a posicionar o seu familiar, no entanto, a ajuda e ensino de um profissional qualificado é sempre uma mais valia pois o cuidado é mais individualizado.

 

 

 

 

 

Na MyNurse pode contar com uma equipa de enfermeiros para ensinarem os cuidadores informais e também auxiliares de acção médica que colaboram consigo neste processo de aprendizagem para si e de prevenção de complicações ao seu familiar acamado. Saiba mais em www.mynurse.pt

O Processo de Luto I

A morte é uma realidade com a qual todos temos que lidar. Faz parte do ciclo da vida. Quantos de nós já passámos por isto? Quantos de nós temos alguém próximo de nós que sofreu a perda da pessoa mais importante da sua vida? É mesmo muito importante que se fale sobre este assunto.

O processo de luto não é um processo linear, não avança em etapas sequenciais que possam ser exactamente previstas. Pelo contrário, o indivíduo avança ou recua muitas vezes, ao longo das etapas do luto, possivelmente prolongando-se por um período de vários anos, antes do processo estar terminado.

Muitos autores escreveram sobre o Luto, hoje no Blog da MyNurse, começamos uma série de posts acerca de Bowlby e as quatro fases do Luto (1980).

Começamos por abordar a primeira fase – Entorpecimento. Este termo significa a sensação de diminuição de sensibilidade, falta de força,  redução dos movimentos corporais ou expressão do desânimo. Esta fase pode durar desde algumas horas até uma semana ou mais e, se interrompida por períodos de emoção extremamente intensos. A pessoa enlutada pode descrever esta fase sentindo-se “espantada” ou “irreal”. Fazer-se presente junto da pessoa que faz o Luto, é essencial. Pode ser em silêncio. Estar ao pé, sem fazer nada. Escutar, se a pessoa quiser conversar.

Na MyNurse, pode encontrar profissionais com experiência em apoio e acompanhamento durante estes momentos difíceis. Ajudam na arrumação da casa, elaboração de refeições, ajudam nos cuidados de higiene, podem fazer apenas companhia e presença. Também pode recorrer a Psicólogos experientes que realizam as consultas no conforto do domicílio. Conte com a MyNurse para fazer com que o Processo de Luto seja um bocadinho menos pesado. Saiba mais em www.mynurse.pt

 

Dar de mamar

Dar de mamar é o melhor para o bebé e para a mãe. É natural, fisiológico e reconfortante.

São muitas as causas que levam ao abandono da prática do aleitamento materno. Durante muito tempo, foi evidente o desconhecimento das vantagens de dar de mamar em comparação com o aleitamento artificial. A falta de apoio familiar, a falta de conhecimentos a nível anatómico e fisiológico, muita insegurança emocional provocada pelas alterações hormonais típicas da fase pós-parto e, muitas vezes, a pressão profissional são factores que influenciam o abandono do aleitamento materno.

Se conhece alguém que precisa de aliviar a ansiedade causada por o bebé não conseguir fazer uma boa pega, esclarecer alguma dúvida ou saber mais informações acerca de dar de mamar, se estiver com insegurança durante as mamadas, tenha sintomas de provável mastite (dor, calor, rubor) , não hesite em entrar em contacto com ajuda profissional.

Na MyNurse encontra enfermeiras que realizam visitas ao domicílio onde, a Mãe e o bebé se encontram no conforto de sua casa, num ambiente calmo e acolhedor. Nestas visitas de apoio à amamentação a Mãe e o seu bebé são o foco de atenção e, muitas vezes, um olhar exterior com sabedoria clínica pode ser suficiente para tornar a experiência do aleitamento materno mais natural e reconfortante para os dois. Não espere mais: marque a sua visita em www.mynurse.pt

Fonte: (Cordeiro, 2008)

 

Tem uma úlcera por pressão? Chame um enfermeiro!

Uma úlcera por pressão é uma ferida resultante de um dano causado à pele que acontece  quando há uma diminuição da circulação sanguínea provocada pela pressão aplicada numa área específica.

Inicialmente, é possível observar uma ligeira vermelhidão na área afectada (o primeiro sinal de danos nos tecidos). O tecido subjacente morre devido à deficiência de irrigação sanguínea. Podem ser afectadas várias camadas de pele, músculos e ossos.

As proeminências ósseas, como a região sagrada, os calcanhares, os cotovelos e as omoplatas, entre outras, são áreas consideradas de elevado risco.

O tratamento de úlceras por pressão é uma competência específica dos enfermeiros. Na MyNurse pode encontrar profissionais com conhecimentos actualizados que, no conforto de sua casa, realizam o penso adequado à sua ferida.

Não deixe o tempo passar, se conhece alguém que precisa deste tipo de cuidados, não hesite em contactar profissionais adequados. Saiba mais em www.mynurse.pt