Month: December 2018

O Processo de Luto I

A morte é uma realidade com a qual todos temos que lidar. Faz parte do ciclo da vida. Quantos de nós já passámos por isto? Quantos de nós temos alguém próximo de nós que sofreu a perda da pessoa mais importante da sua vida? É mesmo muito importante que se fale sobre este assunto.

O processo de luto não é um processo linear, não avança em etapas sequenciais que possam ser exactamente previstas. Pelo contrário, o indivíduo avança ou recua muitas vezes, ao longo das etapas do luto, possivelmente prolongando-se por um período de vários anos, antes do processo estar terminado.

Muitos autores escreveram sobre o Luto, hoje no Blog da MyNurse, começamos uma série de posts acerca de Bowlby e as quatro fases do Luto (1980).

Começamos por abordar a primeira fase – Entorpecimento. Este termo significa a sensação de diminuição de sensibilidade, falta de força,  redução dos movimentos corporais ou expressão do desânimo. Esta fase pode durar desde algumas horas até uma semana ou mais e, se interrompida por períodos de emoção extremamente intensos. A pessoa enlutada pode descrever esta fase sentindo-se “espantada” ou “irreal”. Fazer-se presente junto da pessoa que faz o Luto, é essencial. Pode ser em silêncio. Estar ao pé, sem fazer nada. Escutar, se a pessoa quiser conversar.

Na MyNurse, pode encontrar profissionais com experiência em apoio e acompanhamento durante estes momentos difíceis. Ajudam na arrumação da casa, elaboração de refeições, ajudam nos cuidados de higiene, podem fazer apenas companhia e presença. Também pode recorrer a Psicólogos experientes que realizam as consultas no conforto do domicílio. Conte com a MyNurse para fazer com que o Processo de Luto seja um bocadinho menos pesado. Saiba mais em www.mynurse.pt

 

Dar de mamar

Dar de mamar é o melhor para o bebé e para a mãe. É natural, fisiológico e reconfortante.

São muitas as causas que levam ao abandono da prática do aleitamento materno. Durante muito tempo, foi evidente o desconhecimento das vantagens de dar de mamar em comparação com o aleitamento artificial. A falta de apoio familiar, a falta de conhecimentos a nível anatómico e fisiológico, muita insegurança emocional provocada pelas alterações hormonais típicas da fase pós-parto e, muitas vezes, a pressão profissional são factores que influenciam o abandono do aleitamento materno.

Se conhece alguém que precisa de aliviar a ansiedade causada por o bebé não conseguir fazer uma boa pega, esclarecer alguma dúvida ou saber mais informações acerca de dar de mamar, se estiver com insegurança durante as mamadas, tenha sintomas de provável mastite (dor, calor, rubor) , não hesite em entrar em contacto com ajuda profissional.

Na MyNurse encontra enfermeiras que realizam visitas ao domicílio onde, a Mãe e o bebé se encontram no conforto de sua casa, num ambiente calmo e acolhedor. Nestas visitas de apoio à amamentação a Mãe e o seu bebé são o foco de atenção e, muitas vezes, um olhar exterior com sabedoria clínica pode ser suficiente para tornar a experiência do aleitamento materno mais natural e reconfortante para os dois. Não espere mais: marque a sua visita em www.mynurse.pt

Fonte: (Cordeiro, 2008)