Month: December 2016

Medicina Chinesa: O que é e para que serve

Por David Ribeiro                                                                                                                                Médico de Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Chinesa, com cerca de 5 mil anos de existência, é uma das mais antigas formas de medicina praticada no mundo, tendo 2 mil anos de literatura escrita.

É uma medicina energética baseada no princípio de que o Qi (Energia) circula no organismo através de canais específicos. Estes canais são os meridianos, que percorrem o corpo, possuindo pontos (acupontos), que ao serem punturados equilibram a circulação energética de todo o organismo. A doença é vista pela Medicina Chinesa como um desequilíbrio energético.

Na consulta, segundo uma abordagem holística e através dos 4 métodos de diagnóstico: observação da língua, auscultação, palpação do pulso e história Clínica (Anamnese), estabelece-se o diagnóstico energético personalizado do paciente, podendo posteriormente, prescrever-se o tratamento mais adequado.

As técnicas mais importantes de tratamento na medicina chinesa são: a Acupuntura, a Fitoterapia Chinesa, a Dietética Chinesa, a Moxabustão, o Tuiná, a Auriculoterapia, a Ventosoterapia, a Electroestimulação, e exercícios como o Qi-Gong e o Tai-Chi.

A mais divulgada, no Ocidente, é a Acupuntura que consiste na aplicação de finas agulhas, descartáveis, em pontos específicos do corpo para se obter diferentes efeitos terapêuticos de acordo com cada caso clínico. Nesta técnica está incluída a auriculoterapia (aplicação de agulhas no pavilhão auricular).

A Fitoterapia Chinesa, menos conhecida, mas tão ou mais importante que a Acupuntura, consiste na conjugação de plantas medicinais chinesas em fórmulas que podem ser apresentadas sob a forma de gotas, comprimidos ou cápsulas, bem como chás ou cremes. São na maioria dos casos associadas ao tratamento de acupuntura, potenciando os seus resultados.

A Moxabustão consiste na aplicação de calor, por intermédio de um charuto ou cone de artemísia em pontos anatómicos específicos.

O Tuiná emprega técnicas de massagem para estimular ou dispersar os pontos dos meridianos do paciente, visando o equilíbrio do fluxo de energia por estes canais.

A Ventosoterapia técnica milenar adotada em diversas correntes da medicina tradicional que emprega ventosas.

A Eletroacupuntura (EA) é uma forma de acupuntura, em que pares de agulhas de acupuntura são ligados a um dispositivo que gera uma corrente elétrica entre elas. A EA é utilizada para potenciar efeitos terapêuticos ou analgésicos.

Atualmente, a medicina chinesa está em franca expansão por todo o mundo, sendo reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em diversas patologias, entre as quais: ciática, reumatismo, tenossinovite, nevralgia do trigémeo, lombalgias, dores articulares, torcicolo, má posição fetal, insónias, alcoolismo, obstipação, bronquite, asma, pneumonia, sinusite, rinite, tosse, gripe, cefaleias, enxaquecas, hemorroidas, úlcera péptica, disfunção biliar, pielonefrite, diabetes mellitus, hipertensão arterial, celulite, obesidade, acne, dermatite, incontinência uretral e fecal, síndrome de ménière, depressão, neuroses psíquicas, tonturas e vertigens, tinnitus (zumbidos), otites, problemas menstruais, impotência sexual, menopausa, prostatite, doença de crohn, angina de peito, entre outras.

mynurse_acupuntura_6 mynurse_acupuntura_5 mynurse_acupuntura_1mynurse_acupuntura_3

Aprender a alimentar-me bem: fazer a escolha acertada dos hidratos de carbono

Todos nós queremos o melhor para a nossa saúde.

Sabemos que a maior parte das doenças e de outras condições que nos retiram qualidade de vida têm origem nas escolhas erradas que fazemos, sejam elas conscientes ou inconscientes.

A alimentação está na base da saúde e da doença

Temos a noção de que as gorduras animais são muito prejudiciais à nossa saúde. No entanto, devemos perceber que os hidratos de carbono simples, como os açúcares e todos os alimentos processados, provocam danos ainda maiores no nosso organismo.

Os hidratos de carbono são essenciais às necessidades energéticas diárias do nosso organismo, mas nem todos os hidratos de carbono são iguais e devemos aprender a fazer as escolhas mais saudáveis.

Vamos aprender a escolher os hidratos de carbono melhores para a saúde

Para percebermos como funciona a digestão dos hidratos de carbono devemos saber o que é o índice glicémico.

O índice glicêmico é um indicador da velocidade com que o açúcar presente num alimento chega à corrente sanguínea.

Desta maneira, para controlar o apetite basta comermos sempre alimentos com baixo índice glicémico nos acompanhamentos da refeição, porque mantém o sangue com um mínimo de açúcar e por isso a fome não surge tão rapidamente depois de uma refeição.

Hidratos de carbono simples

Os hidratos de carbono simples são rapidamente absorvidos e digeridos pelo nosso organismo. Isto faz com que os índices glicémicos fiquem mais altos fruto da absorção dos hidratos de carbono simples.

Os alimentos que contêm mais hidratos de carbono simples são os alimentos refinados, os processados e os alimentos “Light”. Por outras palavras, estes alimentos são manipulados e por isso são feitos à base de ingredientes artificiais como os corantes, adoçantes, emulsionantes e estabilizadores, além de serem submetidos a altas temperaturas, o que destrói os nutrientes e os minerais.

Temos o exemplo dos bolos embalados, os alimentos de longa duração, os snacks salgados, as bolachas recheadas, as massas instantâneas, o pão branco, os molhos, as massas brancas, as gomas, os refrigerantes, os sumos e tantos outros produtos que enchem as prateleiras dos supermercados e mercearias.

mynurse_carbohidratos_7Normalmente, tratam-se de alimentos que contêm muito sal, muita gordura e muito açúcar, criando, para quem os consome, a ilusão de saciedade, devido ao elevado valor calórico que contêm mas, na verdade, não têm valor nutricional.

O açúcar mais consumido no mundo é o refinado ou açúcar branco. O que acontece nos processos de refinação é que são adicionados químicos, como o enxofre, que tornam o produto branco e delicioso, mas são retirados os nutrientes tais como os sais minerais e as vitaminas.

Há estudos que provam que os açúcares criam dependência e que têm vários efeitos negativos para o nosso organismo, tais como:

  • Afecta o sistema imunitário, reduzindo as nossas defesas naturais
  • Altera o equilíbrio hormonal e enfraquece os ossos, porque interfere na absorção de cálcio e magnésio
  • Provoca um aumento rápido de adrenalina, de ansiedade, de hiperactividade, dificuldade de concentração e irritabilidade, sobretudo nas crianças
  • Provoca a perda de elasticidade e funcionalidade dos tecidos dos nossos órgãos
  • Provoca desidratação
  • Alimenta as células cancerígenas
  • Provoca o aumento de peso e obesidade
  • Provoca problemas gastrointestinais nos dentes e nas gengivas
  • Contribui para a diabetes e para as doenças cardiovasculares, como a hipertensão
  • Danifica os rins, o pâncreas e o fígado promovendo as doenças crónicas e degenerativas, entre outras.

Podemos concluir que os hidratos de carbono simples não são uma boa opção!

Hidratos de carbono complexos

A escolha mais saudável e nutritiva são os hidratos de carbono complexos, porque são digeridos lentamente pelo nosso organismo, apresentando índices glicémicos mais baixos, favoráveis à nossa saúde.

Os alimentos com o maior valor nutricional são os alimentos que se apresentam como a natureza nos oferece.

Temos vários exemplos como os cereais integrais, a aveia integral, a quinoa, o trigo, as leguminosas secas (feijão, grão, lentilhas), o arroz, a massa integral, pão integral, os vegetais e a fruta.mynurse_carbohidratos_4

A escolha de hidratos de carbono complexos na nossa alimentação torna-nos mais saudáveis.

 

 

Porquê um Enfermeiro?

A Enfermagem é a arte de cuidar e a ciência cuja essência e especificidade é o cuidado ao ser humano, individualmente, na família ou em comunidade, de modo integral e holístico, desenvolvendo de forma autónoma ou em equipe atividades de promoção, proteção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde.

Um enfermeiro tem competências e conhecimentos que outros cuidadores não têm, sendo essencial, para o doente um plano de cuidados de enfermagem individualizado que permita assegurar cuidados de qualidade e adaptados às circuntâncias de cada um. É um cuidador certificado e qualificado, com seguro de actividade profissional próprio, e que está  capacitado para dar pareceres, instruções ou examinar determinada situação com o fim de decidir sobre um plano de ação sobre sua área de conhecimento em relação às necessidades apresentadas pelo cliente.

Em determinados casos, colocar o doente nas mãos de um profissional não qualificado, pode ser um erro e uma desconsideração para com a pessoa que precisa deste tipo de cuidados, diminuindo a sua qualidade de vida e o seu conforto. Da mesma forma, se for possível a manutenção do doente no conforto da sua casa, em vez da hospitalização ou institucionalização, escolher o cuidador, de entre os que se encontram disponíveis e que são competentes para o caso, é fundamental para a prestação de bons cuidados.

Peça um conselho a um profissional qualificado, sem compromisso, e sinta a diferença e a segurança, de ter perto de si ou de quem precisa de cuidados, cuidadores diferenciados com código deontológico próprio e uma actividade regulada no mercado. São cuidadores com formação superior que além do estudo, revelam uma vocação própria e abraçam a missão a que se propõem com dedicação e empenho valorizando o paciente e os seus interesses em primeiro lugar.

Da elaboração de plano de cuidados, com diagnóstico de enfermagem, onde são estabelecidas intervenções/acções de enfermagem específicas direcionadas para as necessidades encontradas à monitorização do estado de saúde, há toda uma série de cuidados disponíveis através da Plataforma MyNurse. Registe-se e escolha um cuidador adequado a si e às suas necessidades. Consulte os seus perfis, as suas competências e a sua experiência para tomar a sua decisão de forma livre e informada.

Aprender a sentir-me bem: Alongar

Os alongamentos musculares promovem o bem-estar físico e mental em todas as idades.

Aliviar as tensões do dia-a-dia, ajudar a eliminar as toxinas que o corpo produz, reduzir o stress físico e a possibilidade de contrair lesões, bem como ativar a circulação sanguínea são alguns exemplos do que os alongamentos podem fazer por si.

Em teoria, o alongamento é uma técnica utilizada para manter ou aumentar a flexibilidade dos músculos e dos movimentos, mas a sua prática traz muitos mais benefícios! Quer tenha uma vida mais sedentária ou pratique uma atividade física intensa regular só tem a ganhar com esta medida. Na realidade, quer um grupo quer o outro acaba por perder a sua flexibilidade, graças ao encurtamento das fibras musculares (provocado quer pela ausência de exercício, quer por exercícios muito intensos), levando a uma maior probabilidade de desenvolvimento de problemas nos ossos e músculos.

Numa altura em que o sedentarismo está entre as principais causas de morte em todo o mundo, vários estudos vêm demonstrar que a prática regular de exercícios de alongamento ajuda na prevenção de doenças.

Por todas estas razões, a MyNurse aconselha-o a dispensar 10 minutos do seu dia para alongar.

mynurse_alongamentos_3De acordo com Bob Anderson, o especialista em alongamentos mais conhecido em todo o mundo, o alongamento é uma forma simples e indolor de nos prepararmos para o movimento. Movimento esse que pode ser uma simples tarefa do quotidiano como atar os sapatos, por exemplo.

O importante é que alongue antes e depois de uma atividade física, mas também em diversos momentos do seu dia. Pela manhã ao acordar, no trabalho para aliviar tensões, após estar sentado ou de pé durante um período prolongado, ou quando se sentir tenso, por exemplo.

 

 

Como devo alongar?

Os alongamentos devem começar com suavidade, não devendo ir para lá do ponto onde começar a sentir uma pequena tensão. É importante que relaxe e que se sirva da sua própria respiração para realizar todos os movimentos. A respiração deve ser lenta, ritmada e controlada. “Não prenda a respiração enquanto estiver alongado”, refere Bob Anderson.

Após sentir que a tensão diminuiu, aumente o alongamento delicadamente até obter uma sensação mais intensa. Mantenha a postura e repita.

Repita estes exercícios todos os dias e veja a sua condição física e mental melhorar.

mynurse_alongamentos_2

Experimente alongar com frequência e partilhe connosco a sua experiência!