Month: October 2016

Vinagre de cidra de maçã orgânico

O vinagre de cidra de maçã é um produto natural e um poderoso aliado da sua saúde.

Propriedades

Contém uma boa quantidade de substâncias nutritivas, como vitaminas, ácidos essenciais, enzimas e pro bióticos, pectinas, celulose e minerais; além disso, possui muito potássio e micro minerais como cálcio, magnésio, ferro, fósforo, flúor, boro e silício.

O vinagre de cidra de maçã orgânico não contém pesticidas, nem produtos químicos, é diferente de outros vinagres não orgânicos.

Ajuda a criar um ambiente alcalino ao aumentar o pH, evitando que o ácido úrico se cristalize prevenindo a formação de cálculos ou pedra nos rins.

Contém altos níveis de potássio sendo benéfico para os rins

Benefíciosvinagre-cidra-maca_musculos-e-ossos

Consumir vinagre de cidra de maçã diariamente, proporciona cálcio para os ossos e potássio para os músculos, como também estabiliza o metabolismo.

Melhora o trânsito intestinal, evitando prisão de ventre, regenera a flora intestinal, eliminando toxinas do organismo e reduz algumas dores reumáticas.

Actua directamente sobre o fígado, ajudando a metabolizar melhor as gorduras.Tem propriedades diuréticas que ajudam no processo de perda de peso e apresenta propriedades anti oxidantes, anti inflamatórias e antibióticas.

Diabetes

vinagre-cidra-maca_diabetes

Estudos indicam que a pectina, que se encontra em grandes quantidades no vinagre de cidra de maçã, ajudam a reduzir e a regular os níveis de açúcar presentes no sangue.

 

Colesterolvinagre-cidra-maca_colesterol

Estudos revelam que o consumo de vinagre de cidra de maçã promove o bom colesterol e reduz os níveis de triglicéridos, reduzindo o mau colesterol.

Tensão Arterial

O consumo de vinvinagre-cidra-maca_tensao-arterialagre de cidra de maçã reduz a probabilidade de doenças cardíacas.

Contém muito potássio que permite equilibrar os níveis de sódio no organismo e, por consequência, ajuda a equilibrar a tensão arterial.

Contém magnésio que ajuda a relaxar as paredesdos vasos sanguíneos.

 

 

Alergiasvinagre-cidra-maca_alergias

Limpa os gânglios linfáticos e ajuda a eliminar sintomas de alergias como sinusite e dores de cabeça.

pH

vnagre-cidra-maca_phPrevine alguns problemas de saúde e melhora o funcionamento do organismo em geral. Por ser um produto ácido, é excelente para limpar e regenerar o organismo, ajudando a manter um nível de pH alcalino.

Cálculos renais ou pedras nos rins

Cálculos renais são depósitos de cristais de minerais que se acumulam no rim ou no tracto urinário.

O nível de acidez elevada do vinagre de cidra de maçã ajuda a dissolver os tecidos duros que compõe as pedras ou cálculos nos rins, tornando mais fácil a sua eliminação.

Se não consumirmos água em quantidade suficiente, o organismo tende a desidratar e consumirá os líquidos dos tecidos; este processo pode gerar ácido úrico e provoca a formação de sedimentos cristalizados nos rins, por isso, é imprescindível mantermos o nosso organismo hidratado para manter os rins limpos.

Beber água em grande quantidade é muito importante para manter a urina diluída e, assim, ajudar a eliminar as pedras do rim.

O vinagre de cidra de maçã orgânico contém altos níveis de potássio, benéfico para os rins.

  • Adicione 2 colheres de sopa de vinagre em 300 ml de água, isso vai ajudar a tornar o seu organismo alcalino e ajuda a dissolver os cálculos renais.

Soluções com vinagre de cidra de maçã para ajudar a dissolver as pedras nos rins:

Método 1: Vinagre de cidra de maçã com água

  • Misture 1 colher de sopa de vinagre cidra de maçã em cerca de 250 ml de água;
  • Beba a mistura durante o dia, antes das refeições.

Método 2: Vinagre de cidra de maçã com água e mel

  • Misture uma colher de sopa de vinagre de cidra de maçã com 1 colher de chá de mel;
  • Beba a solução durante o dia;
  • Repita diariamente até notar alívio de sintomas.

Método 3: Vinagre cidra maçã com água e bicarbonato de sódio

Os cálculos renais desenvolvem-se em meios ácidos. O bicarbonato de sódio alcaliniza o organismo rapidamente.

  • Misture 1 colher de sopa de vinagre cidra maçã com 1/2 colher de café de bicarbonato de sódio, diluindo tudo num copo com água;
  • Quando a mistura deixar de ficar efervescente, beba gradualmente ao longo de 30 minutos;
  • Repita 2 vezes por dia até ficar sem sintomas;
  • Pode adicionar mel para potenciar os resultados.

Terceira Idade com Saúde- Fisioterapia Preventiva

Na terceira idade, naturalmente, ossos, tendões e músculos tendem a ficar mais frágeis; alterações da sensibilidade, do equilíbrio, do controle sobre os movimentos e do desempenho em atividades diárias básicas como alimentar-se e vestir-se, também são comuns. Estas alterações ocorrem porque o idoso está mais vulnerável físico-funcionalmente, pelo que o estímulo à prevenção de patologias e deficiências, tanto de ordem física quanto psíquica é de extrema importância nesta fase.

Vários estudos têm demonstrado que os indivíduos fisicamente ativos apresentam uma menor deterioração da aptidão física e uma menor incidência das doenças típicas (hipertensão arterial, doenças cardíacas, osteoporose, etc.), na terceira idade.

É neste contexto que a fisioterapia se torna um grande aliado para a saúde do idoso. A atuação do Fisioterapeuta pode ser necessária em qualquer fase da vida, porém na Terceira Idade tem uma importância maior, não só de tratamento, mas também, e principalmente, de prevenção.

Fisioterapia Preventiva

Numa ótica preventiva, a Fisioterapia promove uma melhoria da postura e preservação das articulações, melhoria da 3a-idade_4coordenação e concentração; aumento do relaxamento muscular e redução de tensões; melhoria da autoestima, etc. Ensina o idoso a evitar posturas viciosas, que dificultam as atividades diárias, ocasionando encurtamentos musculares e dores.

A Fisioterapia Preventiva engloba técnicas de fortalecimento da musculatura enfraquecida e de alongamentos globais, diferentes exercícios físicos e respiratórios e várias outras abordagens terapêuticas, que se adaptam às necessidades individuais de cada individuo, bem como aos limites de cada um, podendo associar outras terapias alternativas como o Pilates.

3a-idade_3O Pilates Clínico para a terceira idade promove uma maior qualidade de vida, pois é um trabalho aplicado com uma grande margem de segurança e de baixo impacto, além disso, respeita os limites de cada um, através de exercícios suaves e controlados. Por estas razões, os indivíduos idosos podem beneficiar dos efeitos do Pilates Clínico quer preventivamente, quanto no pós-tratamento médico ou fisioterapêutico.

Fisioterapia Interventiva

Numa ótica de tratamento, a Fisioterapia utiliza técnicas e procedimentos que ajudam no controle dos sintomas de 3a-idade_7doenças. Algumas patologias comuns em idosos, como a cervicalgia (dor na região cervical) e a lombalgia (dor na região lombar) afetam 45% dos pacientes acima de 65 anos. Para esses pacientes, a fisioterapia tem um importante papel no tratamento analgésico e anti-inflamatório, favorecendo assim, o menor uso de medicamentos e diminuindo as crises agudas dessas patologias.

 

Resumindo, a Fisioterapia…

…ajuda a prevenir doenças comuns na terceira idade, como a diabetes, hipertensão arterial, doenças cardíacas, osteoporose, hérnias de disco, tendinites, bursites, artrose, etc.

…atua no controle de dores nas articulações e em problemas de insónia, depressão ou ansiedade, etc.

…promove o envelhecimento com qualidade de vida, o aumento da força muscular, a melhoria da capacidade de locomoção e equilíbrio, bem como a coordenação dessas funções.

…garante a independência e o conforto na realização das atividades da vida diárias.

3a-idade_2

“Fisioterapia Preventiva para um envelhecimento saudável e com saúde”

Dia Nacional da Paralisia Cerebral

Hoje é o dia Nacional da Paralisia Cerebral!  A Paralisia Cerebral é uma perturbação do controlo da postura e movimento que resulta de uma lesão ou anomalia cerebral que atinge o cérebro em período de desenvolvimento.
Não há dois casos semelhantes e não é progressiva.“Em cada 1000 bebés que nascem 2 podem ser afectados por Paralisia Cerebral”

 

As formas de ajudar no desenvolvimento podem ir desde a motricidade, a alimentação, os cuidados de higiene e a autonomia; a comunicação e linguagem e a educação e o desenvolvimento da criança.

Os tipos mais comuns são:
Espástico – Caracterizado por paralisia e aumento de tonicidade dos músculos resultante de lesões no córtex ou nas vias daí provenientes. Pode haver um lado do corpo afectado (hemiparésia), os 4 membros (tetraparésia) ou mais os membros inferiores (diplegia).
Atetose/Distonia – Caracterizada por movimentos involuntários e variações na tonicidade muscular resultantes de lesões dos núcleos situados no interior dos hemisférios cerebrais (Sistema Extra-Piramidal).
Ataxia – Caracterizada por diminuição da tonicidade muscular, incoordenação dos movimentos e equilíbrio deficiente, devido a lesões no cerebelo ou das vias cerebelosas.

00260301-105000
A Paralisia Cerebral não é, geralmente, devida a qualquer deficiência dos pais ou doença hereditária. Pode ser causada por hemorragias, deficiência na circulação cerebral ou falta de oxigénio no cérebro, traumatismo, infecções, nascimento prematuro e icterícia grave neonatal.
Não se sabe exactamente, num grande número de caso, como e porquê a criança foi afectada, mas sabe-se que houve uma lesão, geralmente antes do nascimento, na altura do parto, ou após este, que é responsável pela deficiência.
A Paralisia Cerebral é uma deficiência que vai afectar o desenvolvimento da criança.
Deficiência é um termo discutível mas, realmente, quer dizer que uma pequena porção dos milhões de células que existem no cérebro foi destruída e, portanto, não se pode desenvolver.
Não há possibilidade de regeneração destas células, pelo que não pode haver cura da lesão.
No entanto as células restantes podem ser estimuladas a funcionar o mais adequadamente possível de modo a compensar a deficiência e desenvolver ao máximo as potencialidades da criança. Não existem medicamentos nem operações que possam curar a Paralisia Cerebral. No entanto, há uma possibilidade de melhorar.
Esta melhoria não se manifesta subitamente mas, progressivamente, graças a um trabalho persistente e constante em que a colaboração dos pais é imprescindível. Sem esta colaboração, nem o melhor especialista pode obter resultados satisfatórios.
O prognóstico nem sempre é fácil de estabelecer. Os médicos, enfermeiros, psicólogos, técnicos de serviço social e terapeutas não são profetas, e o cérebro da criança desenvolve-se, por um lado, de acordo com o seu potencial e, por outro, de acordo com o estímulo que recebe.
A criança inteligente colabora melhor nos exercícios e desenvolve mais facilmente as várias funções. A criança com desenvolvimento mental deficiente tem menos possibilidades e sua recuperação poderá ser mais lenta e mais limitada.
As pessoas com Paralisia Cerebral podem ter inteligência normal ou até acima do normal, mas também podem ter atraso intelectual, não só devido às lesões cerebrais, mas tambémpela falta de experiência resultante das suas deficiências.ca-bebes-paralisia-cerebral-d-732x412

Para mais informações, consulte http://www.apcl.org.pt/

 

Dia Mundial de Luta contra o Cancro da Mama

Hoje, dia 19 de Outubro, celebra-se o Dia Mundial de Luta contra o Cancro da Mama

 

As doenças oncológicas constituem a segunda principal causa de morte em Portugal e têm um profundo impacto nos doentes, nas famílias e na sociedade em geral, sendo provavelmente das doenças mais temidas pela população em geral.

O carcinoma da mama é, na Europa, o tumor com maior incidência na mulher. Actualmente, em Portugal, com uma população feminina de 5 milhões, surgem 6000 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja 11 novos casos por dia, morrendo por dia 4 mulheres com esta doença.

 O cancro da mama aumentou de forma muito significativa nas últimas três ou quatro décadas do século XX, sobretudo nos chamados países desenvolvidos. Sendo a forma de cancro mais frequente na mulher, raramente surge antes dos 30 anos de idade, aumentando significativamente a partir dos 45 anos e principalmente depois dos 60 anos.

Factores de Risco

Não é conhecida uma causa específica para o cancro da mama.

Traumatismos violentos na mama não provocam, por si só, cancro da mama; no entanto, é conveniente ter cuidado com as mamas.

A investigação tem demonstrado que há mulheres que apresentam um risco aumentado para cancro da mama, que se pensa estar associado a determinados factores de risco (factores que aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver uma doença). Foram já identificados alguns factores de risco para o cancro da mama:

  • Idade: a possibilidade de ter cancro da mama aumenta com o aumento da idade; uma mulher com mais de 60 anos apresenta maior risco. O cancro da mama é menos comum antes da menopausa.
  • História pessoal de cancro da mama: uma mulher que já tenha tido cancro da mama (numa mama), tem maior risco de ter esta doença na outra mama.
  • História familiar: o risco de uma mulher ter cancro da mama está aumentado se houver história familiar de cancro da mama, ou seja, se a sua mãe, tia ou irmã tiveram cancro da mama, especialmente em idades mais jovens (antes dos 40 anos); ter outros familiares com cancro da mama, do lado materno ou paterno da família pode, também, aumentar o risco.
  • Algumas alterações da mama: algumas mulheres, apresentam células mamárias que parecem anormais, quando vistas ao microscópio; ter determinado tipo de células anormais, como sejam a hiperplasia atípica ou o carcinoma lobular in- situ, aumenta o risco de cancro da mama.
  • Alterações genéticas: alterações em certos genes (BRCA1, BRCA2, entre outros) aumentam o risco de cancro da mama; em famílias onde muitas mulheres tiveram a doença, os testes genéticos podem, por vezes, demonstrar a presença de alterações genéticas específicas. Assim sendo, em mulheres que apresentem estas alterações genéticas, podem ser sugeridas medidas para tentar reduzir o risco de cancro da mama e melhorar a detecção precoce da doença.
  • Primeira gravidez depois dos 31 anos
  • História menstrual longa:  mulheres que tiveram a primeira menstruação em idade precoce (antes dos 12 anos de idade), tiveram uma menopausa tardia (após os 55 anos) ou que nunca tiveram filhos (nuliparidade), apresentam um risco aumentado.
  • Terapêutica hormonal de substituição: mulheres que tomam terapêutica hormonal para a menopausa (apenas com estrogénios ou estrogénios e progesterona), durante 5 ou mais anos após a menopausa parecem, também, apresentar maior possibilidade de desenvolver cancro da mama.
  • Raça: o cancro da mama ocorre com maior frequência em mulheres caucasianas (brancas), comparativamente a mulheres Latinas, Asiáticas ou Afro-Americanas.
  • Radioterapia no peito: mulheres que tenham feito radioterapia ao peito, incluindo as mamas, antes dos 30 anos, apresentam um risco aumentado para cancro da mama; esta situação inclui mulheres com linfoma de Hodgkin que foram tratadas com radiação – estudos publicados demonstram que, quanto mais nova era a mulher, na altura dos tratamentos com radioterapia, mais elevado é o risco de vir a ter cancro da mama.
  • Densidade da mama: mulheres mais velhas que apresentam, essencialmente, tecido denso (não gordo) numa mamografia (raio-X da mama), têm risco aumentado para cancro da mama.
  • Obesidade após a menopausa: as mulheres que são obesas, após a menopausa, apresentam um risco aumentado de desenvolver cancro da mama. A obesidade está relacionada com uma proporção anormalmente elevada de gordura corporal; tendo em conta que o corpo produz alguns estrogénios (hormona feminina) no tecido gordo é, assim, mais provável que as mulheres obesas apresentem níveis elevados de estrogénios e, consequentemente, risco aumentado para cancro da mama. Alguns estudos demonstram que o aumento de peso, após a menopausa, aumenta o risco de cancro da mama.
  • Inactividade física: mulheres que são fisicamente inactivas, durante a sua vida, parecem ter um risco aumentado para cancro da mama; estar fisicamente activa pode ajudar a diminuir este risco, através da prevenção do aumento de peso e da obesidade.
  • Bebidas alcoólicas:  alguns estudos sugerem haver relação entre a maior ingestão de bebidas alcoólicas e o risco aumentado de ter cancro da mama. (Liga Portuguesa contra o cancro)

 

Sintomas e Sinais de Alerta

  • Alteração na mama ou no mamilo, quer no aspecto quer na palpação;
  • Nódulo (caroço) à palpação, perto da mama ou na zona da axila;
  • Sensibilidade no mamilo;
  • Alteração do tamanho ou forma da mama;
  • Retracção do mamilo (mamilo virado para dentro da mama);
  • Pele da mama, aréola ou mamilo com aspecto escamoso, vermelho ou inchado; pode apresentar saliências ou reentrâncias, de modo a parecer “casca de laranja”.
  • Secreção ou corrimento de líquido (branco, amarelo ou sanguinolento) pelo mamilo.

 

Rastreio do Cancro da Mama

De acordo com a Liga Portuguesa Contra o Cancro “A grande dificuldade em diminuir a prevalência dos factores de risco para o cancro da mama justificam uma prevenção secundária, isto é, que sejam concretizados procedimentos e atitudes de um diagnóstico o mais precoce possível das lesões malignas. Eles incluem o controlo rigoroso e periódico por mamografia e, quando adequado, ecografia, recorrendo ao aconselhamento pelo Médico Assistente, sobretudo a partir dos 40-45 anos”.

Atendendo a que não existem, ainda, medidas efectivas capazes de prevenir ou curar a doença em qualquer estádio de diagnóstico e a que mais de 90% das doentes com cancro podem ser curadas, se diagnosticadas num estádio precoce e adequadamente tratadas, não devem ser poupados esforços no diagnóstico precoce da doença (Direcção Geral de Saúde).

O Programa de Rastreio de Cancro da Mama é dirigido a mulheres assintomáticas (que não apresentam sintomas) com idade compreendida entre os 45 e os 69 anos e consta na realização de uma mamografia cada dois anos.

O rastreio é gratuito e organizado regionalmente em parceria com as Administrações Regionais de Saúde. No norte, centro e sul do continente, a Liga Portuguesa Contra o Cancro é o parceiro operacional, e no Algarve o parceiro é a Associação Oncológica do Algarve. Nos Açores e na Madeira, os programas são da responsabilidade dos Governos Regionais.

Na grande maioria das vezes a convocatória é feita (por carta) para a realização do exame numa Unidade Móvel que estaciona junto do Centro de Saúde da localidade. É ainda feita divulgação através de folhetos e anúncios na comunicação social local.

As mamografias são realizadas por especialistas e quando existem alterações a utente é convocada para uma consulta onde são realizados exames adicionais para um diagnóstico definitivo. Após cada consulta, algumas utentes necessitam de encaminhamento hospitalar e tratamento.

Pode consultar a localização das unidades de rastreio em http://www.ligacontracancro.pt

“Muitos dos factores de risco enunciados podem ser evitados, outros, como a história familiar, não podem ser evitados. É, no entanto, útil saber e estar consciente dos factores de risco, ainda que muitas mulheres com estes factores de risco não apresentem cancro da mama”.

Se pensa estar em risco de ter cancro da mama, deve discutir este facto com o Seu médico.

(Liga Portuguesa Contra o Cancro)

Sabe como a Fisioterapia respiratória pode ajudar o seu bebé?

Com a chegada do tempo frio chegam também as constipações, as bronquiolites, a tosse e os narizes congestionados que, nas crianças, pode significar um problema acrescido. Isto porque os bebés e crianças são mais suscetíveis que os adultos a desenvolverem patologias respiratórias, devido às suas características estruturais e funcionais que dificultam a eliminação das secreções que se podem acumular na garganta e pulmões.

Dependendo da condição clínica, as mucosidades podem iniciar-se no nariz, descendo pela garganta até aos pulmões ou, serem produzidas diretamente pelos pulmões. Esta mucosidade estagna nos pulmões e, se não tratada, pode levar a infeções respiratórias e ao uso subsequente de antibióticos ou até dificuldade respiratória.

Para pais que não estão habituados a este tipo de situação, pode ser um pouco assustador, especialmente se o bebé perder o apetite e o padrão de sono alterar.

Felizmente, a fisioterapia respiratória pode ajudar a aliviar este desconforto!

Também conhecida como ginástica, cinesioterapia ou massagem respiratória, a Fisioterapia respiratória pediátrica está indicada para o tratamento de problemas respiratórios de recém-nascidos, bebés e crianças.

A Fisioterapia Respiratória Pediátrica consiste…

num conjunto de técnicas terapêuticas manuais que ft-resp-ped-9visam a recuperação da função respiratória do bebé, através da drenagem de secreções. As manobras utilizadas têm como objectivo principal mobilizar e expulsar essas secreções, sendo os resultados praticamente imediatos.

O Objectivo da Fisioterapia Respiratória Pediátrica é…

limpar as vias aéreas superiores e os pulmões do bebé de qualquer mucosidade que possa restringir a respiração normal, os seus padrões de sono e de alimentação. Desta forma, evitam-se infeções e complicações broncopulmonares e, adicionalmente, consegue-se um bem-estar tanto psicológico como físico do bebé (e dos pais).

A sessão de Fisioterapia Respiratória Pediátrica começa…

com uma conversa com os pais para perceber melhor as alterações respiratórias do bebé e para lhes explicar o que vai acontecer durante a sessão. O Fisioterapeuta aproveita também este momento para proceder à auscultação e estabelecer relação com o bebé.

ft-resp-ped-1Alguns bebés podem sentir-se incomodados por estarem a ser tocados por um estranho e eventualmente começam a chorar mesmo antes da sessão começar. A vibração que o choro provoca é transmitida às vias aéreas pulmonares mais profundas, o que ajuda à mobilização das secreções. Normalmente os Fisioterapeutas solicitam aos pais alguns brinquedos que podem ser utilizados para desviar a atenção do bebé para algo que lhe é mais prazeroso. Muitos outros bebés não necessitam de nenhuma técnica de distração e mostram-se até bem contentes com a novidade.

Cada bebé é um mundo e a sessão é adaptada a cada um deles, fazendo-se as pausas necessárias para que possam descansar e receber mimos dos papás.

A Fisioterapia Respiratória Pediátrica utiliza Técnicas…

de estimulação e relaxamento, que consistem na realização de uma série de manobras em que o Fisioterapeuta coloca as suas mãos no tórax e no abdómen do bebé, e mediante a aplicação de ligeiras pressões, aumentam o fluxo aéreo, mobilizando todas as secreções que se aft-resp-ped-4cumulam nos brônquios dos bebés. Desta forma, consegue-se que as mucosidades se soltem e se libertem através de tosses provocadas. A expetoração engolida vai para o estômago e não provoca um agravamento da situação clínica pois a acidez deste órgão mata as bactérias ou vírus.

Existem duas situações em que os pais poderão comprovar que as secreções engolidas acabarão por sair: Através de um cocó mais fluido ou com aspeto mucoso; O bebé/criança vomita as próprias secreções. Este processo é natural e assim deverá manter-se.

Estas técnicas adaptam-se à idade do bebé, sendo realizadas inclusivamente na idade neonatal.

O Fisioterapeuta terá sempre em conta a conversa com os pais sobre os sintomas dos bebés e a auscultação para seguir o seu estado, a evolução e os resultados.

ft-resp-ped-6Em nenhum momento o bebé sofre algum dano ou lesão, ainda que o normal e muitas vezes benéfico seja a presença do choro durante a sessão.

Indicações :

  • Bronquiolite
  • Prematuros
  • Bactérias
  • Infeções respiratórias prévias “mal curadas”
  • Reação à inspiração de ar frio
  • Otite
  • Nascimento de novos dentes
  • Asma, etc.

Contra-Indicações :

Existem situações pontuais em que a fisioterapia poderá não atuar, e em que os pais deverão contactar novamente o médico pediatra:

  • Bebé/criança que está com febre;
  • Bebé/criança é auscultado, verifica-se que as secreções estão muito secas e a tosse não é produtiva;
  • Bebé/criança é auscultado, verifica-se que tem secreções em quantidade reduzida e que ele sozinho é capaz de as remover.

A MyNurse preocupa-se com a saúde respiratória dos nossos bebés e encorajamo-lo a comprovar por si mesmo os benefícios da Fisioterapia Respiratória Pediátrica.

Aprenda a comer Fruta

1

          

             APRENDA A COMER FRUTA!
Fruta é o mais perfeito alimento, gasta uma

quantidade mínima de energia para ser digerida e dá ao seu corpo o máximo retorno.

 

 

 

2

O único alimento que faz o seu cérebro trabalhar é a glicose.

A fruta é principalmente composta por frutose, que pode ser facilmente transformada em glicose, e cerca de 90 a 95% de água.

Isto significa que está a alimentar e a limpar ao mesmo tempo.

 

 

 

3

O único problema com as frutas é que a maioria das pessoas não sabe como comê-las de forma a permitir que o corpo use efectivamente os seus nutrientes.

Devem comer-se as frutas sempre com o ESTÔMAGO VAZIO. Porquê? A razão é que as frutas não são, em princípio, digeridas no estômago: são digeridas no intestino delgado.

 

 

 

4

As frutas passam rapidamente pelo estômago, e dali vão para o intestino, onde libertam os seus açúcares.

Se houver outros alimentos no estômago como carne, batatas ou amidos, as frutas ficam presas e começam a fermentar.

 

 

 

5

Já comeu alguma vez comeu fruta à sobremesa, depois de uma refeição e passou o resto da noite desconfortável com a sensação de indigestão?

É porque não comeu a fruta da maneira adequada.

Deve comer fruta sempre com o estômago vazio para aproveitar todas as suas propriedades.

 

 

 

6

A melhor maneira de aproveitar os nutrientes de qualquer espécie de fruta é comendo-a tal como ela é.

Em alternativa, pode fazer sumo desde que o beba na altura em que é feito.

Não deve beber sumo que esteja conservado em lata ou em recipientes de vidro porque, na maioria das vezes, o sumo é aquecido no processo em que é embalado, tornando a sua estrutura ácida.

 

 

7

Pode beber sumo de fruta feito por uma centrifugadora, em que a fruta é apenas triturada, com o estômago vazio.
O sumo é digerido tão depressa que pode comer uma refeição quinze a vinte minutos depois de o beber.

 

 

 

 

8

Vários estudos confirmam que a fruta é o melhor alimento que podemos comer que nos protege contra as doenças cardíacas.

As frutas contêm bioflavonoides, evitando que o sangue se torne espesso e obstrua as artérias.

 

 

 

 

9

Os chineses e os japoneses bebem chá quente e de preferência chá verde, durante as refeições.

Não devemos beber água ou bebidas geladas ou bebidas geladas. Devemos adoptar este hábito!

 

 

 

 

10

A ingestão de líquidos gelados durante e após as refeições solidificam as gorduras dos alimentos ingeridos, consequentemente, retardam a digestão. Os sucos gástricos são absorvidos pelo intestino mais depressa do que os alimentos sólidos que se fixam no intestino e endurecem as gorduras, fazendo com que permaneçam mais tempo no intestino.

 

 

 

 

11

Beber um chá morno depois de uma refeição tem a vantagem de facilitar a digestão e dilui as gorduras para serem expelidas pelo organismo mais rapidamente.

Assim sendo, também ajuda a emagrecer.

 

 

 

 

12

 

Coma Fruta de forma adequada e melhore a sua Saúde!

Quero saber mais sobre: Psoríase

A psoríase é uma doença crónica da pele, não contagiosa, que pode surgir em qualquer idade e que afecta 1 a 3% da população. O seu aspecto, extensão, evolução e gravidade são muito variáveis, caracterizando-se, geralmente, pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afectam preferencialmente os cotovelos, joelhos, região lombar e couro cabeludo. Nos casos mais graves, estas lesões podem cobrir extensas áreas do corpo. As unhas são também frequentemente afectadas, com alterações que podem variar entre o quase imperceptível e a sua destruição.

tratamentos-para-psoriase-no-couro-cabeludo-1-640-427

Cerca de 10% dos doentes desenvolvem artrite psoriática. Esta traduz-se por dor e deformidade, por vezes bastante debilitante, de pequenas (mãos e pés) ou grandes (membros e coluna) articulações.
A origem da psoríase não está totalmente esclarecida, embora se saiba que é geneticamente determinada e envolva alterações no funcionamento do sistema imunitário, que provocam inflamação e aumento da velocidade de renovação das células da epiderme (camada mais superficial da pele).

O facto de ser geneticamente determinada não implica que a hereditariedade de pais para filhos seja obrigatória. Contudo, verifica-se uma maior probabilidade de aparecimento da doença em pessoas que tenham familiares portadores da mesma.

Uma vez que existem múltiplas doenças cutâneas que também se manifestam com lesõespsoriase vermelhas e descamativas, eventualmente afectando as localizações típicas da psoríase, o diagnóstico deve ser sempre estabelecido pela observação clínica por um dermatologista. Em alguns casos poderá ser necessária a confirmação com biópsia de pele.

Existem diversos tipos de psoríase, classificados de acordo com o seu aspecto clínico.
Os mais importantes são: Psoríase no couro cabeludo; Psoríase em placas ou psoríase vulgar; Psoríase gutata; Psoríase inversa; Psoríase eritrodérmica e Psoríase com Pústulas
Não existe uma cura definitiva para a psoríase, mas sim um conjunto variado de tratamentos, cujo uso isolado ou em associações permite controlar os sintomas na maioria dos casos. Cada doente tem a sua especificidade, pelo que estas terapêuticas devem ser usadas criteriosamente, de acordo com as indicações adequadas para cada caso e respectiva fase de evolução e com respeito pelas regras de segurança, para evitar eventuais efeitos secundários ou agravamento da própria doença.
Terapêuticas Tópicas (aplicação de loções, cremes ou pomadas sobre a pele)
Emolientes e queratolíticos: O seu uso regular é importante para o controlo da descamação, constituindo um importante complemento para os restantes tratamentos.
Corticosteroides tópicos: Muito eficazes no controlo das lesões. Existem com diferentes níveis de potência, adequados para diferentes situações e áreas do corpo. Para evitar efeitos secundários não devem ser usados de forma continuada.
Análogos da vitamina D: Interferem no ciclo de renovação celular, controlando a descamação.
Outros: Alcatrão, ditranol.
Sol
A helioterapia é sem dúvida o meio de tratamento mais barato e acessível. A exposição à luz solar (espectro ultravioleta) induz uma melhoria na maioria dos casos. Contudo, esta deverá ser feita com moderação, uma vez que as queimaduras solares agravam a psoríase.
Fototerapia
Exposição da pele a fontes artificiais de luz ultravioleta (UV) em sessões regulares, com doses de UV adequadas a cada doente e durante períodos predeterminados. Na fototerapia UVB é usado o espectro de radiação UVB e a na PUVA é necessária a aplicação local ou por via sistémica de um agente sensibilizaste à luz UVA (psoraleno).
Medicamentos sistémicos (via oral ou injectáveis)
Usados nos casos mais gravmelhores-tratamentos-para-psoriase-3-640-427es ou resistentes ao tratamento. Implicam um acompanhamento médico minucioso.
Retinoides: normalizam a proliferação e diferenciação das células da epiderme. As mulheres em idade fértil só os podem usar se forem estabelecidas medidas de contracepção rigorosas, por risco de malformações no feto.
Metotrexato e ciclosporina: interferem com mecanismos inflamatórios e imunitários na base da doença.
Agentes biológicos (Etanercept, Adalimumab, Infliximab): Actuam selectivamente sobre determinados componentes do sistema imunitário. Representam a área em que se verificaram os progressos mais recentes.

Lesões cutâneas vermelhas e descamativas, ocupando as regiões dos copsoriase-e1427399641750tovelos, joelhos, região lombar ou couro cabeludo, sem sintomatologia significativa (dor, “comichão”), sobretudo se associadas a alterações das unhas ou queixas articulares, sugerem a hipótese de diagnóstico de psoríase.

Contudo, um diagnóstico definitivo deve ser sempre efectuado por um dermatologista, uma vez que existem diversas patologias cutâneas com características semelhantes, mas cujo tratamento é muito diferente.

 

A Psoríase não é contagiosa, não se transmite por contacto. Ninguém “apanha” psoríase pelo toque, ao compartilhar roupas ou objetos ou dormir na mesma cama. É importante que pacientes, familiares e amigos saibam disso. Ajuda a combater o preconceito.

 

psoriase-1

 

As informações disponibilizadas neste artigo não substituem o papel do médico.
Cada caso é um caso e o seu médico-dermatologista será sempre o seu melhor conselheiro.

Para mais informações e apoio no caso de psoríase visite a Associação Portuguesa de Psoríase