Síndrome pós-férias… o que fazer para o ultrapassar

Estudos internacionais garantem que, em média, 40% das pessoas manifesta tristeza, irritabilidade, cansaço e alterações no apetite e no sono após um período de descanso.

Investimos tanto do nosso tempo a planear as nossas férias. Fizemos tudo para aproveitá-las ao máximo e, depois, num ápice, acabam! Como que por magia, todos os seus efeitos terapêuticos parecem desaparecer mal regressamos à vida do dia-a-dia.

Kathleen Hall, fundadora do The Stress Institute, um organismo que estuda o fenómeno nos Estados Unidos da América, também autora de livros como «Life in Balance» e «Alter your Life: Overbooked? Overworked? Overwhelmed?», explica-nos o porquê e quem mais sofre com esta perturbação que se manifesta no pós-férias:

Stress Pós-Férias.. Reacção Natural?

O stresse que costuma marcar o regresso ao trabalho envolve uma reação, muitas vezes difícil, de adaptação ao dever, em oposição ao lazer registado durante as férias. De acordo com Kathleen Hall, embora não exista muita  investigação sobre este problema, já que a maior parte das pesquisas concentra-se nos  benefícios psicológicos e para a saúde que as férias nos trazem, trata-se de uma  perturbação muito comum e natural.

«O nosso organismo abrandou durante as férias e o corpo desenvolve um ritmo novo, mais lento, do qual gosta muito mais. Recarregamos baterias ao nível físico e emocional e é normal que nos mostremos resistentes a acelerar novamente. Não fomos  programados para viver a um ritmo tão rápido e o nosso corpo e a mente tentam dizer-nos isso mesmo», explica a especialista.

A ansiedade e tristeza sentidas no regresso à rotina serão tanto maiores quanto mais longo for o período de férias, salienta ainda Kathleen Hall. Muitos especialistas aconselham, por isso, as pessoas mais propensas a este tipo de stresse para, em vez de fazerem períodos de férias muito prolongados, tirarem menos dias de férias… mais vezes!

Quem sofre mais?

Segundo a fundadora do The Stress Institute, a nível geral, as mulheres serão mais lesadas pelo stresse pós-férias, porque veem-se confrontadas com o trabalho que ficou por fazer. As mulheres costumam ver-se submergidas de imediato num sem número de tarefas domésticas associadas ao regresso a casa, grande quantidade de roupa para lavar e arrumar, compras para fazer, refeições para preparar e, em simultâneo, todas as obrigações associadas ao retorno ao emprego.

Mas não são só os adultos que sofrem. As crianças também são afetados pelo fim das férias. Como alerta Kathleen Hall, «depois de um período de relaxamento, os mais novos podem sentir-se cansados, mal-humorados e com dificuldade em levantar-se cedo. O apetite diminui e a memória pode tornar-se mais lenta. No entanto, esta é uma situação apenas temporária, de adaptação».

pós-férias

De que forma podemos prolongar os benefícios dos dias de descanso e não nos deixarmos derrotar pelo stresse pós-férias?

A Dra. Maria do Carmo Oliveira, Psicologa e fundadora do Clube Optimisto, refere que “o regresso ao trabalho, com a consequente passagem da tranquilidade para a agitação diária, poderá gerar alguma ansiedade. O nível de ansiedade sentido depende da forma como o trabalho é percepcionado: do grau de descontentamento que tem relativamente ao emprego, ou do grau de incerteza, do nível de exigência que sente existir no seu trabalho, mas também do relacionamento quem mantém com os restantes colegas.

Neste período, para além do regresso à rotina do trabalho, muitas famílias deparam-se ainda com a necessidade de articular os seus horários com os horários escolares dos filhos.

Até que a rotina da vida familiar seja restabelecida surge sempre alguma ansiedade. No entanto, o regresso ao trabalho não tem de ser necessariamente uma fonte de emoções negativas. A Dra Maria do Carmo Oliveira deixa-nos aqui várias estratégias que nos poderão ajudar a readaptarmo-nos ao ritmo de trabalho e a sentirmo-nos entusiasmados:

Programe a adaptação aos horários e rotinas com alguns dias de antecedência. Comece a deitar-se  progressivamente mais cedo, organize a sua casa, faça algumas tarefas que lhe permitam fazer uma transição mais suave do período de férias para o período de trabalho.

Programe um fim-de-semana fora, algo que o entusiasme, para algumas semanas depois de ter regressado ao trabalho.

Marque no seu calendário períodos em que poderá fazer pequenas pausas e programe o que irá fazer nesses períodos. Ao fazê-lo irá antecipar mentalmente esses momentos, o que contribuirá para sentir aquilo a que se chama o fenómeno da alegria antecipada.

Transforme o fim das férias num momento de alegria. Faça um jantar com amigos, partilhem as vossas experiências de férias, recordem os momentos divertidos, partilhem fotos.

Procure incluir na sua agenda semanal algo que seja para si um gerador de emoções positivas. Algo para fazer que lhe dê prazer, (increva-se no ginásio, em aulas de dança, natação, pintura, marque um dia para ir fazer jogging com amigos, etc.)

Leve consigo para o trabalho algo que o faça recordar emoções positivas que viveu no período de férias. Coloque uma foto das férias no ambiente de trabalho no computador.

Programe o seu primeiro dia de trabalho de modo a fazer algo que seja importante. Ao fazê-lo irá sentir o dia como mais gratificante e útil.

No primeiro dia levante-se um pouco mais cedo. Tome um pequeno almoço de que goste realmente com calma, e vá com alguma antecedência. Assim começará o dia de trabalho de forma mais calma, sem que o stress o afecte.

Faça uma pausa e recorra à sua imaginação, para o ajudar a sentir-se tranquilo sempre que sinta que está a ficar stressado. Reveja, mentalmente, um momento muito agradável que viveu no período de férias. Reveja-o ao pormenor como se estivesse a vivê-lo novamente. O nosso cérebro não distingue imaginação de realidade, pelo que, ao fazê-lo, irá sentir-se mais tranquilo.

Leve uma ideia nova para o local de trabalho. Algo que possa ser um contributo positivo para a sua  empresa.

Contribua para criar um bom ambiente de trabalho. Fale com os colegas de forma simpática, energética, motivada. Elogie com mais frequência. Crie momentos de humor saudável.

Envie uma mensagem de energia para os seus colegas ou vá um pouco mais cedo e deixe nas secretárias dos seus colegas uma mensagem positiva.

Se ainda se sentir desmotivado pense: “Afinal, vou regressar ao trabalho porque tenho emprego e isso é de certeza muito positivo.” A seguir sorria, eleve a postura, e siga para o emprego, não com cara de 2ª feira, mas sim com cara de quem tem algo para comemorar. (lembra-se como se sentiu quando o seleccionaram para o seu 1º emprego?) Antes de sair de casa olhe-se ao espelho e diga para si mesmo:

“Hoje vai ser um dia fantástico!”

Férias

Posted on: September 6, 2016, by :

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *