Month: July 2016

Aprender a cuidar de mim: O que come um enfermeiro?

Por: Carmen Ferreira, Enfermeira, Blog bebé saudável

Este post é dedicado a todas as pessoas que me perguntam “como consegues ser saudável a trabalhar com este ritmo?”
É possível! Sabem como?

1- Planear antecipadamente:
Sempre que possível tento levar comida e organizar a minha marmita no dia anterior.

2- Ter sempre no local de trabalho snacks saudáveis:
Tenho sempre guardados ou na lancheira amêndoas/fruta/iogurte natural/cenouras/ovos cozidos/bolachas de aveia (…), assim quando me apetece algo extra do que levei de casa tenho uma alternativa sempre saudável à mão!

3- Incentivar a equipa a comer de forma saudável:
Tenho a dizer-vos que não é fácil!
Primeiro és a pessoa que come de forma esquisita… depois pensam que estás de dieta e convencem-te que “não precisa nada enfermeira, está óptima! Coma este bolinho”.
Mas acabam por aceitar e por participar com snacks saudáveis e partilha de receitas.

4- Pequeno-almoço reforçado:
Nunca sei quando poderei ter a próxima pausa ou se vou precisar de ir para o bloco (onde as pausas são quando os bebés querem 😉 )… E muitas vezes tomo um pequeno-almoço tão completo que só tenho fome à hora do almoço.
Desde ovos mexidos até papas de aveia! É preciso variar e ser prático.

O meu truque: Juntar gordura vegetal de boa qualidade para me manter saciada mais tempo (abacate, óleo de coco, frutos secos…).

5- Amor:
Sim, porque só consigo preparar refeições para que o meu corpo se sinta bem e com energia ao longo do dia, porque tenho amor-próprio!
Enquanto cuido de outras famílias, tenho que cuidar de mim primeiro, senão não darei o meu melhor a nível físico, psiquíco e emocional.
Comer bem é mais do que um número da balança, para mim é gostar de mim e valorizar o meu único meio de trabalho: o meu corpo e a minha mente!

6- Libertar -me da perfeição:
Existem dias que não consigo fazer isto tudo tão bem… Há dias que o meu corpo me pede mais comida, outros nem por isso! Há dias em que me comeram os snacks [e agora?!]… Há dias que as hormonas não facilitam a vida…
Todos os dias aprendo a improvisar e a não ser tão exigente comigo. Afinal não estou numa competição, não sou um atleta… O exercício diário é fazer o melhor que posso e consigo. Amanhã é outro dia e será uma nova oportunidade de repôr nutrientes! 😉
Equilibrio, sempre!

7- Perguntas frequentes (aquelas que todos pensam e outros dizem):

– Bebe leite?
Não bebo leite de vaca há quase 10 anos! Como poucos lacticíneos mas abro excepção para o queijo cottage e kefir de cabra (e em ocasiões especiais um bom queijo da serra!)

– Bebe café?
Sim, bebo café! Sou humana e tenho os meus requisitos para ser feliz [I´m a coffe lover]

– Nunca vemos a comer carne, porquê?
Como raramente carne, mas abro excepções para o biológico e que foi criado ao ar livre!

– É vegetariana?
Não sou paleo, não sou vegetariana, não sou macrobiótica, não sou vegan (tem dias que sou!). Não gosto de rótulos , gosto de (boa) comida! Junto os princípios de todas e adapto ao que o meu corpo gosta e pede/precisa naquele dia [às vezes também precisa de um cheesecake!].
A minha regra é escolher alimentos reais, da natureza – o menos processado possível, com menos farinhas brancas e menos gordura hidrogenada! Por isso, adapto receitas para comer um cheesecake saudável se me aptecer.

– Qual é o truque para tornar os pratos mais saudáveis?
Verde tem que estar sempre presente, quer seja uma sopa ou salada ou uns legumes assados/salteados/a vapor.

– Quando não há mais nada no bar para comer… Quando há uma catastrofe e só o McDonalds está aberto…O que come a Enfermeira Carmen?
Sushi é sempre o meu plano B em SOS.
Se não estiver disponível sou menina parar comer uma salada no McDonalds [Ahahah].

– Segue uma dieta rígida? Controla as calorias?
Não conto calorias! Sou tudo menos rígida com essas contagens… Não olho para os alimentos por terem 1000kcal ou 1kcal, porque opto sempre pelo valor nutricional do alimento (as suas vitaminas, fibras, etc).

– O que é indispensável ter durante um turno ou num dia de consultas?
Muuuuita água (muita mesmo!) e toda a gente já conhece a minha garrafa de vidro.

Procurem sempre um bom profissional de saúde para vos acompanhar e adaptar um plano alimentar à vossa filosofia de vida, ritmo e preferências… Só assim teremos saúde e qualidade de vida!

Aprender a cuidar de mim: O calor e o sistema respiratório

Esta onda de calor que o país atravessa pode ser prejudicial à sua saúde respiratória, principalmente se faz parte dos grupos de maior risco. Está provado que qualquer onda de frio ou calor pode ser significativo na intensificação de episódios de doenças respiratórias. É por esta razão que, devido a temperaturas muito quentes em todo o país, deve ter cuidados redobrados para se proteger perante possíveis episódios alérgicos ou apenas respiratórios. Quem poderá sofrer mais com estas alterações de temperatura são os doentes crónicos, os idosos, as crianças, as grávidas e os trabalhadores com actividade ao ar livre.

Os idosos devem ser devidamente acompanhados, especialmente se vivem sozinhos e devem assegurar a hidratação máxima. Os principais efeitos que pode verificar com o aumento da temperatura atmosférica é uma elevada concentração de ozono o que pode desencadear mais facilmente as crises de asma, a baixa humidade que se revela é agressiva para as vias respiratórias e o facto de não ingerir tantos líquidos pode causar desidratação o que prejudica as secreções dos brônquios, fulcrais para fazer limpeza das vias aéreas. Podem existir ainda vestígios de pólen no ar que sobreviveram ao inverno que passou.

Para que consiga enfrentar melhor estas alturas de grande calor leia estas dicas úteis:
– Beba muitos líquidos, sobretudo água. Evite as bebidas com gás e com álcool.
– Evite estar na rua durante as horas em que há mais calor e maior luminosidade.
– Evite longas exposições ao sol.
– Tenha cuidado com as variações grandes de temperatura, especialmente com o uso de aparelhos de ar condicionado.

 

Fonte: Viver bem

O que nos faz bem: Própolis

O própolis é uma substância produzida pelas abelhas e formada por ceras e resinas, que é misturada com o pólen para ser utilizada como antibiótico dentro da colméia que impede a propagação de micróbios e vírus.
O própolis é uma defesa antimicrobiana natural das plantas. Tem consistência viscosa e a sua cor, sabor e aroma variam de acordo com sua origem botânica.
O própolis é muito utilizado como medicamento no tratamento de várias doenças. A sua principal função é o fortalecimento do sistema imunitário, actuando na prevenção e, em alguns casos, na cura de diversas doenças.
Exitem estudos que comprovam as diversas propriedades biológicas e terapêuticas do própolis, e a cada passo, surgem novas descobertas sobre o própolis e novas indicações para tratamento de diversas patologias.

2

Conheça algumas das suas propriedades medicinais:
Antibacteriana: É eficiente na destruição de uma vasta gama de bactérias nocivas ao ser humano. Possui como vantagem em relação a antibióticos sintetizados em laboratório o facto de as bactérias não desenvolverem resistência ao própolis. Por essa propriedade, é muito indicado no tratamento de doenças como anginas, amidalites, faringites, laringites, gengivites, estomatites, abcessos dentários, sinusites, bronquites, pneumonias, gripes, rinites, entre outras.
Antiviral: A acção antiviral do própolis é conhecida principalmente pelo seu óptimo efeito contra: herpes, adenovírus, coronavírus, rotavírus, etc. Por isso, sua utilização também é indicada contra doenças como herpes, gripes, resfriados, conjuntivites e dores de garganta.
Antifúngica: Tem acção antifúngica, permitindo o tratamento de problemas de couro cabeludo, micoses em geral, frieiras, etc.
Anti-inflamatória: verificada com eficácia principalmente no tratamento de artrites, artroses e reumatoides.
Antioxidante: A sua actividade antioxidante, combate os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento do corpo humano e da mutação do material genético. A presença de compostos fenólicos da sua composição, aponta para sua eficácia como antioxidante. A sua acção preventiva no envelhecimento celular já está bastante comprovada ciêntificamente.
Anticancerígena: O Instituto Nacional de Cancro nos EUA tem desenvolvido trabalhos sobre a actividade anticancerígena do Própolis e os resultados obtidos nas pesquisas foram animadores, principalmente quando foi verificado que o própolis foi capaz não só de inibir o crescimento de células cancerígenas, como também em destruir parcialmente as mesmas.
Cicatrizante e Regeneradora de Tecidos: É muito eficaz no tratamento de dermatites, feridas, úlceras e queimaduras, devido à presença de flavonoides e aminoácidos que fazem parte da sua composição.
Anestésica: A acção anestésica do própolis ajuda a combater dores de garganta, amidalites, dores de dentes, etc. Estudos realizados com extratos etanólicos de própolis levaram à conclusão de que a sua acção anestésica é de 3 a 5 vezes superior à cocaína (usada como anestésico na Medicina dentária na antiga União Soviética).
Imunoestimulante: Tem efeito imunoestimulante, ou seja, estimula a produção de células produtoras de anticorpos, fortalecendo o sistema imunitário que consequentemente aumenta a resistência a doenças e infecções.

propolis

Quem cuida de mim?

Fomos ao encontro da Enfª. Carmen, e pedimos-lhe que partilhasse connosco um pouco do seu gosto pela enfermagem e nos falasse um pouco dos desafios que abraçou ao longo do seu caminho.

Fomos surpreendidos pela sua simplicidade e pelo entusiasmo com que nos falou das suas aventuras.  É enfermeira, é blogger e ainda faz alguns workshops para ajudar pais e bebés. O seu ar jovial e o seu grande sorriso conquistam-nos desde o primeiro momento.

É parceira MyNurse e é com orgulho que a apresentamos.

 

Quando descobriu que gostava de seguir a carreira de enfermeira?
O mundo da saúde sempre me fascinou pelo seu enorme saber e ao mesmo tempo altruísmo.
Desde pequena que fazia os curativos nos bonecos, dava palestras no quarto aos meus cães sobre bebés e queria ser enfermeira parteira em África quando fosse crescida…
Mas poucas pessoas apoiavam a minha opção… “Afinal o que faz um enfermeiro? Pensa bem…Tens média para outro curso”
Como acto rebelde fruto dos meus 18 anos só preenchi o meu boletim de candidatura com uma opção. Foi uma decisão tão arriscada que não dormi quase dois dias… Mas no fundo sabia que estava certa e felizmente ingressei na minha primeira e única opção.

O que mais a satisfaz na enfermagem?
Na área do pós-parto, considero que o enfermeiro tem uma intervenção privilegiada junto das famílias, tornando-se no profissional de saúde de referência. Fascina-me este contacto tão próximo com as pessoas e a autonomia das intervenções de enfermagem, as quais têm um impacto enorme e positivo na saúde das mães, bebés e dinâmica familiar!
 E o que mais lhe custa ou menos gosta?
Custa-me não ter (ainda) o reconhecimento social e económico que a Enfermagem merece… Temos uma profissão exigente a todos os níveis e a nossa intervenção pode MESMO fazer a diferença na saúde e bem-estar das famílias.
Custa-me que não exista espírito de equipa entre enfermeiros para mudar mentalidades e fazer esta diferença.
Custa-me que os enfermeiros (ainda) não acreditem na sua importância e que não valorizem o seu papel na equipa de saúde.

Depois de começar a carreira profissional, criou um blog. O que a levou ao mundo dos blogers?
O blog surgiu um pouco como suporte ao meu trabalho, porque sempre realizei apoios aos pais no pós-parto quer em contexto domiciliário, quer em clínicas e hospitais. Muitas vezes as pessoas ligavam-me com dúvidas e eu não tinha uma plataforma para demonstrar o que queria transmitir… E as pessoas precisavam de um local virtual com informação adequada.
Já seguia blog´s de moda e fitness e pensei em arriscar numa Enfermagem diferente. “Porque não um blog com dicas de enfermagem para ajudar as famílias? Eu tenho tanta coisa para dizer… Como chego a todo o lado?”
Criei então um site de forma muito empírica e assumi o compromisso para comigo mesma que ia escrevia todos os dias para esclarecer as dúvidas mais frequentes dos pais.

Curiosamente comecei a ter mais visualizações e pedidos de pessoas sem ser os pais que eu seguia presencialmente.
Percebi então que o blog estava a ficar mais sério quando me fizeram diversos convites para colaborar em projectos e os likes não paravam de aumentar…Actualmente, tento dinamizar o mais possível este espaço com conteúdos relevantes e criei o workshop “bebe saudável”, ajudando os pais a realizarem opções mais saudáveis para a alimentação da criança, desde a amamentação até aos primeiros sólidos. Tenho presença assídua no consultório online no facebook da Mitosyl Portugal e nos blogs As Viagens dos V´s , Pumpkin e Barrigas de Amor.
Comecei a dar formação nesta área para pais e profissionais também… E novos projectos virão muito em breve!
E correu como esperava?
Não correu como esperava, porque correu muito melhor!
Nunca pensei que o blog evoluísse tão rápido e que tivesse proporcionado parcerias tão positivas.
Afinal não era só sobre moda e fitness que as pessoas queriam ler!”
É gratificante o seu trabalho como bloger? Qual a maior satisfação neste trabalho?
É muito gratificante para mim ser enfermeira, o blog é apenas outro veículo da minha prestação de cuidados.
Para mim é gratificante quando me enviam mensagens a dizer que os meus posts ajudaram as mães, as esclareceram e apoiaram num momento menos positivo. Recebo mensagens de outros enfermeiros a reconhecer o meu trabalho e a enviarem currículos para colaborarem comigo… Ser reconhecida na rua como “a” bebé saudável é um indicativo que este projecto ajuda as famílias, principalmente as mães que precisam de um espaço de partilha de informação correcta e científica.
Mais uma prova que a Enfermagem está cada vez mais próxima das pessoas, com rigor técnico e conhecimento científico.
Para além de gratificante, é bastante exigente porque tenho que estudar, pesquisar e actualizar informações que sejam pertinentes… Por isso, garanto que faz de mim uma melhor profissional.
Gosta de trabalhar em contexto de domicílios? Entrar na casa de outras pessoas assusta-a?
Grande parte do meu trabalho é também feita em casa dos casais, pois não têm possibilidade de sair com o recém-nascido e a mobilidade da mulher na maioria das vezes está afectada. Portanto, trabalhar em contexto de domicilio é uma vertente importante do meu trabalho e que faço com regularidade.
Para mim é um contexto importante no cuidar da família, pois tenho uma percepção da dinâmica familiar, identifico melhor a origem de algum problema/dificuldade relacionado com rotinas familiares e dou soluções mais adaptadas àquela família.
Não me assusta, desafia-me a encontrar recursos (internos e externos) para além dos que uso habitualmente para cuidar daquela família o melhor que sei.
O que leva de melhor desta parte do seu trabalho?
Sinto que aprendi muito sobre mim ao cuidar dos outros, é um crescimento permanente enquanto pessoa e profissional.
Levo também a gratidão que as pessoas expressam quando vêem o seu bebé a mamar, um simples “obrigado enfermeira” faz o meu dia! Enviam-me fotografias dos bebés crescidos ainda a agradecer a minha intervenção. Penso que esse reconhecimento é uma motivação importante e só confirma que a minha opção está certa desde os meus 18 anos…
Levo também no coração as pessoas que acreditam em mim e no meu trabalho, que acrescentam valor ao faço e a quem sou!
Estou profundamente grata e se depender de mim vou continuar a defender acerrimamente a importância da Enfermagem para a saúde da nossa população.

FullSizeRender (8) 0f017f_81ec86e2c9cb456eab7e64adf3d188b6 IMG_1831

Tem um lema de vida?
“You may say that I´m a dreamer, but I´m not the only one!”

A Enfª Carmen Ferreira,  é enfermeira e autora do blog Bebé Saudável

Obrigada pela disponibilidade e desejamos todo o sucesso profissional e pessoal!